• O Canal da Lili

Sinfônica de Piracicaba realiza série de concertos on-line até dia 4 de abril


OSP completa 121 anos de trajetória - Imagem: Rodrigo Alves

A OSP (Orquestra Sinfônica de Piracicaba) estreou a Temporada 2021 de concertos, no último domingo (21). As apresentações são on-line, no Facebook, YouTube e Instagram, até 4 de abril. A realização é do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, via ProAC (Programa de Ação Cultural). O patrocínio prata é da Caterpillar, o patrocínio bronze é da Comgás e o apoio do Bom Peixe, Grupo Pirasa, Indústrias Marrucci, Café Morro Grande e Santa Massa.


De suas casas, os 55 músicos e o maestro Jamil Maluf, diretor artístico e regente titular, executam duas árias em versão orquestral da ópera Carmen, de 1874, a obra mais famosa e popular de Georges Bizet: "Habanera", do ato 1, e a "Os Toreadores", do ato 2, em dois domingos diferentes (dias 21 e 28). As demais apresentações são o primeiro movimento de "Quarteto nº 4 em dó maior, K. 157", de Mozart, no dia 25; o primeiro movimento de "Divertimento No1 em dó maior Hob. IV", de Haydn, em 1º de abril; e “Cantiga Brasileira”, de Gilberto Gagliardi, no Domingo de Páscoa, dia 4. As postagens serão às 20h.


Para Jamil Maluf, as apresentações virtuais foram uma das formas mais usadas pelas orquestras do mundo todo, para disponibilizar conteúdo na quarentena e manter a proximidade com o público. "A própria OSP alcançou 1 milhão de pessoas nas redes sociais no ano passado, seguindo sua missão de projetar e levar o nome de Piracicaba como polo cultural e artístico", avalia o maestro.


EMERGENCIAL

Como o projeto previa concertos presenciais, a OSP consultou a Secretaria de Cultura e Economia Criativa sobre a adequação para o formato virtual, por causa das recomendações de distanciamento social. A Comissão de Análise de Projetos do ProAC publicou o parecer positivo no Diário Oficial de 19 de fevereiro. "Em 2020, a OSP suspendeu os concertos presenciais por seis meses e criou a programação virtual. Porém, os músicos se dedicaram de forma voluntária, sem remuneração", lembra André Micheletti, professor de música da USP (Universidade de São Paulo) de Ribeirão Preto e diretor artístico associado da OSP.


De setembro a dezembro, nas fases amarela e verde, a OSP realizou quatro concertos no Teatro Municipal Dr. Losso Netto, a partir das orientações do Fórum Brasileiro de Ópera, Ballet e Música de Concerto. Os recursos vieram de patrocínios empresariais e da Prefeitura do Município de Piracicaba, assegurados por lei, e repassados pela Secretaria Municipal da Ação Cultural. "Enquanto não tivermos a reabertura dos teatros, tentaremos manter a programação virtual. Para isso, apelamos às empresas e aos órgãos públicos, que permaneçam sensíveis às necessidades de uma instituição artística centenária, dos músicos e da equipe técnica, e para que arte permaneça e possa ser levada às pessoas", diz Micheletti.


A OSP é uma entidade sem fins lucrativos, reconhecida por leis municipal e estadual como de utilidade pública. Obteve o registro de Patrimônio Cultural Imaterial do Município de Piracicaba, concedido pelo Codepac (Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural). Ela completa 121 anos no dia 24 de março.


PROGRAMAÇÃO

Sempre às 20h, no Facebook, Instagram e YouTube: 25 de março – quinta-feira - Quarteto nº 4 em dó maior, K. 157 – primeiro movimento, Mozart - Com Jacqueline Lopes de Oliveira (violino), Paulo Camilotti Tavares (violino), Iriz Costa Felipe (viola), Sérgio Ribeiro (contrabaixo); 28 de março – domingo - Canção do Toreador, da ópera Carmen; 1º de abril - quinta-feira - Divertimento No1 em dó maior Hob. IV – Allegro moderato, Joseph Haydn - Marcos Kiehl (flauta); Cristina Geraldini (violoncelo); Luís Fernando Fischer Dutra (violino); 4 de abril – Domingo de Páscoa - Cantiga Brasileira, Gilberto Gagliardi - Emerson Teixeira (trombone); André Micheletti (violoncelo); Fábio Belluco (violoncelo); Bruno Belluco (violoncelo).


  • Facebook Clean
  • Instagram Clean
  • White YouTube Icon