• O Canal da Lili

Salão de Humor é tema de podcast sobre influência do rio Piracicaba na cultura local


Zélio Alves Pinto é um dos fundadores do Salão - Imagem: Rafael Bitencourt

Com o objetivo de investigar a relação do rio Piracicaba com a cultura do município, o projeto cultural Riverbeirar – Jornalismo Cultural Podcast lança o segundo episódio da série que aborda a temática. O assunto é o Salão Internacional de Humor, em podcast que já pode ser conferido no site do projeto: https://riverbeirar.wixsite.com/inicio e também por meio do Facebook oficial: https://www.facebook.com/riverbeirar .


A iniciativa é apoiada pela Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc nº 14.017/2020, com realização do Governo Federal, Prefeitura de Piracicaba e Semac (Secretaria Municipal da Ação Cultural). Entre os entrevistados, estão Zélio Alves Pinto (fundador do salão), Adolpho Queiroz (secretário da Ação Cultural e fundador do Salão), Erasmo Spadotto (artista e ex-diretor do Salão), Junior Kadeshi (programador cultural do evento), Camilo Riani (artista, pesquisador e professor) e Synnove Hilkner (artista premiada no evento).


No material, Zélio Alves Pinto fala sobre a importância das águas para manutenção e fomento do setor artístico. “Eu acho que os rios são os principais agentes culturais da cidade onde eles correm. E o rio Piracicaba é um grande condutor nesse sentido, às margens do manancial há uma cultura muito sólida, que é um tesouro local”, diz.


Adolpho Queiroz é um dos fundadores do Salão - Imagem: Rafael Bitencourt

Adolpho Queiroz aborda a relação entre a iniciativa e o manancial. “A partir do momento que o Salão foi para o Engenho Central, às margens do rio, o evento ganhou sua maturidade e sua identidade. Esse encantamento que o rio exerce é uma paisagem única que nós temos”, afirma.


Reverberar as ações culturais

Coordenador e proponente do projeto, o jornalista e produtor cultural Rafael Bitencourt explica o seu título. “‘Riverbeirar’ usa o termo ‘River’ (rio, em inglês), já que a iniciativa tem como objetivo investigar a influência do rio Piracicaba na cultura local, sem esquecer que há estrangeiros que fazem parte dela, o que justifica a grafia em inglês”, afirma. “Já o termo ‘Beirar’, vem da ideia de reverberar as ações culturais junto ao público, muitas dessas ações que beiram o rio Piracicaba, ao acontecer em suas margens, como no caso de importantes festividades”, completa.


No terceiro e último episódio da série, previsto para as próximas semanas, será tratada a influência do manancial à música e aos músicos locais. “Entendemos ser fundamental criar novas formas a partir das quais a cultura é levada ao público, gerando identidade, pertencimento e criando plateias. Estamos certos que o podcast é uma ferramenta poderosa nesse sentido”, explica o coordenador.


Site e redes sociais

Ao longo da realização do projeto, o site oficial reúne os podcasts, além de outros conteúdos. A página oficial no Facebook ajuda na difusão dos materiais: https://www.facebook.com/riverbeirar . Além de Rafael Bitencourt (jornalista e produtor cultural), a equipe do projeto é formada por Claudia Assencio (jornalista e educadora), Bruno Fernandes (educador e fotógrafo) e Mauricio Cury Júnior (músico e produtor musical).


SERVIÇO

2º Podcast do projeto “Riverbeirar – Jornalismo Cultural Podcast”, sobre o Salão Internacional de Humor de Piracicaba. Disponível em https://riverbeirar.wixsite.com/inicio . Mais informações podem ser encontradas no Facebook: https://www.facebook.com/riverbeirar .





  • Facebook Clean
  • Instagram Clean
  • White YouTube Icon