top of page
  • Foto do escritorO Canal da Lili

Rede estadual: deputada Bebel luta para impedir a demissão de 41 mil professores da categoria O

Atualizado: 7 de jan.


Bebel protocolou Projeto de Lei prorrogando os contratos dos professores da categoria O contratados em 2018, 2019 e 2020 - Foto: Divulgação

A segunda presidenta da Apeoesp, a deputada estadual Professora Bebel (PT), tem atuado na Alesp - Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo para impedir a demissão de 41 mil professores da categoria O, contratados nos anos de 2018, 2019 e 2020, inclusive já protocolou Projeto de Lei prorrogando o contrato de trabalho desses profissionais. A parlamentar e dirigente da Apeoesp também articula junto ao governo estadual para que sejam prorrogados os contratos de trabalho desses professores.


Durante sessão da Assembleia Legislativa da última segunda-feira (11), a deputada Professora Bebel, no entanto, disse que o ideal é de que seja apresentado um projeto da Casa, para que os contratos dos professores sejam prorrogados. “O ideal é que seja feito um projeto em que todos os deputados assinem, evitando, assim a demissão desses professores, que conforme o contrato que têm com o governo estadual, teriam que cumprir a quarentena, só podendo retornar à Rede Estadual de Ensino em meados de fevereiro, o que pode comprometer o início do ano letivo”, disse.



Como forma de pressionar o governo estadual a prorrogar o contrato de trabalho desses professores da categoria O, a Apeoesp já marcou manifestação nesta próxima sexta-feira, 15 de dezembro, em frente à Secretaria Estadual da Educação. Denominado de “Encontro Estadual dos Professores da Categoria O”, a manifestação acontece a partir das 14 horas, na Praça da República, e foi agendado pelo Conselho Estadual de Representantes da Apeoesp, que se reuniu no último sábado, 9 de dezembro, em São Paulo, na sede da entidade.


Paralelo a isso, a deputada Professora Bebel também impediu que o governo estadual demitisse cerca de 61 mil professores da categoria O, alegando, de forma incorreta, que isso seria necessário para unificar os critérios de classificação, utilizando entre eles a nota do concurso. No entanto, a deputada Bebel alertou o secretário executivo da Secretaria Estadual da Educação, Vinícius Mendonça Neiva, do equívoco que estava sendo cometido e impediu que isso ocorresse. A segunda presidenta da Apeoesp explicou que a lista única poderia ser feita, sem a demissão de professores com contrato em vigor (iniciados em 2020, 2022). “Alertei também para o enorme impacto dessa decisão, obrigando todos esses professores a cumprirem quarentena. O Secretário Executivo acatou essas ponderações, mantendo os contratos em vigor”, destaca Bebel.


Comments


  • Facebook Clean
  • Instagram Clean
  • White YouTube Icon
bottom of page