top of page
  • Foto do escritorO Canal da Lili

Projeto cultural leva tradições afro-brasileiras à escola da rede pública em Piracicaba (SP)


Projeto Dandara chega a Piracicaba - Foto: Paulo Fortunato

Com o objetivo de levar tradições afro-brasileiras à rede pública de ensino, acontece desde maio, no interior paulista, de forma gratuita, o projeto “Dandara vai para escola: Saberes afro-paulistas na educação”. A última ação será nesta sexta-feira (10), das 14h às 16h, na E.E. Dr. Prudente, em Piracicaba (SP). A realização é da Casa de Batuqueiro e ETC Produtora e o projeto foi contemplado pelo ProAc - Programa de Ação Cultural, do Governo do Estado de São Paulo.


O intuito é levar costumes africanos e a história do tambu, também conhecido como batuque de umbigada e kaiumba, para alunos, professores e gestores de seis escolas públicas do ensino fundamental do interior paulista, de forma a atender a Lei 10.639/03, alterada pela Lei 11.645/08, que torna obrigatório o ensino da história e cultura afro-brasileira e africana em todas as escolas, públicas e particulares, do ensino fundamental até o ensino médio. As Leis completam, 20 anos (10.639/03), e 15 anos (11.645/08) em 2023.



O projeto foi idealizado e é coordenado por Vanderlei Bastos e Antonio de Paula Junior, mestres responsáveis pela Casa de Batuqueiro, em parceria com a ETC Produtora e a contadora de histórias Marina Costa. Reúne sete ações distintas com o intuito de fomentar a transmissão de saberes, salvaguardar e disseminar esta tradição milenar.


Ações do projeto

Uma das ações é a Contação de História de Dandara. Personagem do livro de autoria de Vanderlei Bastos (Casa de Batuqueiro), Dandara é uma menina negra, de 10 anos que, ao passar as férias com a avó, escuta histórias das quais lembrará para o resto da vida. O livro aborda os costumes africanos, reforça a importância da relação entre avós e netos, promove o diálogo entre gerações, apresenta a história do Batuque de Umbigada e abrange a diversidade cultural que influenciou hábitos e valores do nosso país.


Outra ação é a roda de conversa com os alunos, em que é abordada a história do tambu de maneira breve e lúdica, evidenciando esta tradição, de forma a apresentar a tradição e falar sobre sua manutenção e seu resgate. Assim, os alunos são estimulados a conhecer a história da cultura afro-brasileira de seu município, com apresentação do tambu.


Será realizada, ainda, roda de conversa formativa com professores e gestores, que reunirá as participações dos mestres da Casa de Batuqueiro, da contadora de história e pedagoga Marina Costa e da produtora Elaine Teotonio. Também está prevista apresentação e vivência para professores e gestores, em que serão contextualizados o instrumento, a dança e as “modas”.


Outras ações são: distribuição de link para que alunos, professores e familiares tenham acesso ao livro Dandara em PDF e a um vídeo gravado por Marina Costa; diálogos com as escolas de forma a possibilitar um trabalho sobre esta vivência que estimule a transmissão de saberes; Live que aborda o processo de escrita, produção do livro e produção do vídeo.


Por meio do projeto será produzido um vídeo institucional sobre o livro Dandara, lançado em 2012. A publicação foi feita pelo FAC (Fundo de Apoio à Cultura). Para este vídeo, estão sendo convidadas as pessoas que participaram do processo.


Municípios

O projeto “Dandara vai para escola: Saberes afro-paulistas na educação”, foi iniciado em maio e passou pelos municípios de Tietê, Rio Claro, Americana, Capivari, Indaiatuba e Piracicaba.


SERVIÇO

Mais informações podem ser conferidas no Instagram: @casadebatuqueiro e @etcprodutora



Comments


  • Facebook Clean
  • Instagram Clean
  • White YouTube Icon
bottom of page