• O Canal da Lili

Projeto CicloVidas: mais de 2.400 pessoas já responderam a pesquisa sobre a construção de ciclovias


Ciclovia na avenida Cruzeiro do Sul - Imagem: Prefeitura/CCS

Durante a primeira semana da pesquisa que tem por objetivo identificar as demandas da população com relação ao uso de bicicletas, a Semuttran (Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana, Trânsito e Transportes), por meio do Projeto CicloVidas, recebeu 2.463 contribuições. Entre os principais apontamentos, o relatório parcial da pesquisa traz que a população sugere a construção de ciclovias ou ciclofaixas nas avenidas Independência (25,8%) e Armando de Salles Oliveira (16,7%).


A população ainda pode participar da pesquisa e contribuir com o projeto CicloVidas, que visa construir 10 Km de ciclovias e ciclofaixas ao ano. A pesquisa estará disponível até 31 de maio no site e redes sociais da Prefeitura e no site da Semuttran. Para participar, basta acessar o link bit.ly/PesquisaCicloVidas .


De acordo com o relatório da primeira semana da pesquisa, quando a pergunta foi o bairro mais indicado para uma ciclovia ou ciclofaixa, o Centro ficou em primeiro lugar, com 13,9% das respostas. Quanto à construção de ciclorrotas turísticas ou rurais, 25,3% dos participantes indicaram o trecho Piracicaba-Santa Olímpia/Santana e 23,5%, o trecho entre Piracicaba e Saltinho.


Segundo Vitor Pires Vencovsky, assessor especial de projetos da Semuttran, a pesquisa será uma das principais ferramentas do projeto CicloVidas para definir em quais bairros, avenidas e rotas ciclovias, ciclofaixas e ciclorrotas serão construídas. “A avenida Independência, por exemplo, foi a mais requisitada até aqui. Então é prioridade”, explica. Vencovsky avalia que a população tem contribuído bastante com o projeto. “O resultado da pesquisa em termos de participação na primeira semana está ótimo”, complementa.


Com 28 perguntas, a pesquisa é dividida em quatro partes. A primeira aborda informações sobre os munícipes que respondem o questionário. A segunda, sobre as condições de mobilidade do participante. A terceira diz respeito à percepção dos munícipes a respeito do uso de bicicletas para locomoção. Por fim, poderão sugerir bairro, avenidas/estradas e rotas em que gostariam que ciclofaixas e ciclorrotas sejam construídas. Há ainda campo para comentários sobre a ampliação do sistema cicloviário em Piracicaba.


Das 2.463 pessoas que participaram durante a primeira semana, 67,8% são usuários regulares de bicicletas e 32,2% não a usam regularmente como meio de transporte. Dos que usam regularmente, 44,6% a utilizam para lazer, 34,4% para atividade esportiva e 8,6% para ir ao trabalho. A pesquisa aponta ainda que 68% utiliza bicicleta porque é mais saudável e 15,3% porque é divertido.


INFRAESTRUTURA

O relatório parcial da pesquisa traz também que a população aguarda por melhorias na infraestrutura para usar a bicicleta com mais frequência. Dos participantes que usam a bicicleta regularmente, 85,7% disseram que a falta de infraestrutura é o motivo de maior preocupação para o uso da bicicleta no município. Dos que a usam regularmente, 67,7% afirmaram que a usariam se a malha cicloviária fosse ampliada. Para os que não são usuários regulares, 78,3% responderam também que gostariam de usar bicicleta em suas atividades diárias.


No espaço para comentários, foram apresentadas ainda sugestões importantes, tais como realizar transporte de bicicletas nos ônibus, fornecer aluguel de bicicletas, instalar paraciclos e bicicletários, realizar campanhas para um trânsito mais seguro, fiscalizar o trânsito e fornecer segurança para evitar roubo de bicicletas.

  • Facebook Clean
  • Instagram Clean
  • White YouTube Icon