• O Canal da Lili

Piracicaba: calendário homenageia 12 personalidades ligadas à defesa da cultura afro-brasileira

Atualizado: 13 de fev.


Lançamento da 4ª edição do Calendário Afro-piracicabano aconteceu na última terça-feira (7), em Piracicaba (SP), no auditório do Centro Cívico - Imagem: Sabrina Rodrigues Bologna

Muita emoção marcou o lançamento da 4ª edição do Calendário Afro-piracicabano, na última terça-feira (7), em Piracicaba (SP), no auditório do Centro Cívico. Organizado pelo Conepir (Conselho de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra de Piracicaba), com apoio da Prefeitura de Piracicaba, em parceria com o CDCPN (Centro de Documentação, Cultura e Política Negra de Piracicaba), o calendário traz, além das datas, as fotos e os currículos resumidos de 12 personalidades ligadas à luta e à defesa da cultura afro-brasileira na cidade.


Na solenidade, também foram entregues duas homenagens pelo vereador Acácio Godoy. Uma referente à Semana da Consciência Negra, que foi entregue a Léia da Conceição Pereira de Souza e uma medalha de Mérito Zumbi dos Palmares para Antônio Santos da Silva.


O prefeito de Piracicaba, Luciano Almeida, enalteceu a publicação e reafirmou o compromisso de continuar apoiando a impressão anual. “É um projeto muito bonito que vocês fazem e nós queremos continuar apoiando para que calendário chegue em todos os lugares”, disse.


A importância da homenagem, do reconhecimento da história e da memória de personalidades negras marcou o discurso de todas as autoridades que fizeram uso da palavra. Marilda Soares, vice-presidente do CDCPN, frisou que o calendário é fundamental pelo reconhecimento da história do povo negro. “Extremamente significativo pelo reconhecimento da nossa história e da nossa memória”, destacou.


Aguinaldo Oliveira, presidente do CDCPN, ressaltou que a homenagem é importante porque a representatividade é um fortalecimento. “São pessoas que nos fortalecem, que nos levam a acreditar que teremos um espaço de igualdade”, afirmou.


O vereador Acácio Godoy lembrou que nas campanhas de Dias dos Pais e das Mães em jornais, sempre há dificuldade de encontrar pessoas negras representadas e se a homenagem não acontece nestes espaços, a própria comunidade deve se homenagear. “Nós temos que nos homenagear. Esta homenagem tem um grande valor porque estamos homenageando histórias que são exemplos para nós”, ressaltou.


Rafael Pinto, do SOS Racismo, da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, reafirmou a necessidade de os negros darem visibilidade sobre seu povo. “Nós temos que falar da nossa história. Ou nós escrevemos sobre nós ou ficaremos na invisibilidade”, enfatizou.


Adney Araújo, presidente do Conepir, agradeceu às pessoas que estavam no local. “Numa noite de véspera de feriado, este local com este público para prestigiar o evento, o que mostra a representatividade”, ressaltou.


Maria Celina, uma das homenageadas, era emoção pura. “Não consigo explicar o tamanho da minha felicidade, de hoje ser homenageada na minha própria cidade”, emocionou-se.


Carlos César de Oliveira, que falou pelos homenageados, afirmou que a história de cada um pode inspirar muita gente. “Esta realização é muito importante. Hoje somos vistos neste calendário e podemos inspirar muita gente”, disse.


O calendário traz, além das datas, as fotos e os currículos resumidos de 12 personalidades - Imagem: Sabrina Rodrigues Bologna

Confira abaixo as personalidades que integram esta edição do Calendário Afro-piracicabano.


ANTÔNIO ANANIAS FILHO

Nasceu em 18 de junho de 1964. Atualmente é o coordenador da UTI Neonatal da Santa Casa de Piracicaba. Formado pela Unesp (1993), fez residência em Pediatria e especialização em Neonatologia. Estudou em escola pública e batalhou três anos em cursinho vestibular para conquistar o sonho de criança: ser médico. É casado com Margarete Conceição e pai do médico Felipe e Monique, estudante de Medicina.


ARDUCE HONÓRIO AGUIAR

Nasceu em Piracicaba em 12 de janeiro de 1920. Ativista trabalhista em favor dos direitos das empregadas domésticas. Apartidária circulou entre os políticos de Piracicaba, São Paulo e Brasília, sempre no intuito de conseguir os direitos das domésticas, conquistados após muita luta. Faleceu em janeiro de 2010, deixando saudades e grande admiração.


BENEDICTO JOSÉ OLAVO

Nasceu em 10 de julho de 1937. Homem de caráter, garra e família. Aos 9 anos ajudava seu pai que trabalhava na prefeitura; com 15 anos foi barbeiro no salão Cruzeiro, pioneiro em cabelo afro. Aos 27 casou-se com Zilda e teve 4 filhos: Sílvia, João, Paulo (Tilyn's) e Sandra. Foi integrante do grupo Zueira Samba. Em 1967, começa a trabalhar na FOP/Unicamp, onde se aposentou. Faleceu com 80 anos - 19/08/2017.


BENEDITA ROSÂNGELA MENDES

Piracicabana, nasceu em 19 de agosto de 1957. Enfermeira dedicada, trabalhou no Hospital dos Fornecedores de Cana. Teve três filhas, sete netos e quatro bisnetos. Sempre fez questão que todos sempre morassem juntos, o verdadeiro amor incondicional. Deixou um legado de amor e total dedicação ao próximo. Faleceu em 2014.


CARLOS CESAR DE OLIVEIRA

Piracicabano, nascido em 20 de outubro de 1967. Fotógrafo por profissão e reconhecido profissionalmente por décadas na área de tecnologia da informação. Em 2006, criou o site e a marca Estava Lá - "Você em todos os lugares!", para abrir espaço na grande rede onde pudesse apresentar o povo negro, sua cultura, seu dia-a-dia etc. Sempre foi ligado à cultura e tradição e preocupado com as diferenças como são tratadas as classes menos favorecidas.


GERALDINA LEONICE DE ALMEIDA

Nasceu em 1936, numa família de músicos. Foi violinista da Orquestra Piracicabana de Amadores. Criou e desenvolveu, em parceria com a FAO (ONU), Esalq/USP, Prefeitura de Piracicaba a Colônia de Pescadores de Caraguatatuba, projetos como o “Martim Pescador”, para a introdução de pescado na merenda escolar. Evoluiu para “Cultivo de Animais e Plantas no Mar”, com produção de mexilhões no Sudeste e de algas marinhas no Nordeste. Atuou na antiga Sudepe.


JOSÉ BENEDITO DE ASSIS

Nasceu em Piracicaba em 25 de abril de 1958. Formado em Engenharia Mecânica. Trabalhou por 30 anos na Caterpillar, onde se aposentou. Com 20 anos iniciou-se na capoeira do Mestre Cosmo No Cativeiro. Foi membro da sociedade São Vicente de Paulo - Conselho Central de Santa Teresinha. Faleceu em 7 de janeiro de 2019.


JOSELI NASCIMENTO

Nascida no Rio de Janeiro, mas mora em Piracicaba há mais de 20 anos. Pastora do Ministério Internacional Vida e Excelência. Psicanalista, grafóloga e grafoterapeuta. Trabalha com mulheres há mais de 10 anos. É casada com o pastor Umberto Nascimento. Mãe de 4 filhos e avó de sete netos que a enchem de felicidade!


MARIA CELINA ALVES DE OLIVEIRA

Piracicabana, nasceu em 18 de julho de 1951, filha dos falecidos Osvaldo e Natália da Conceição. Viúva de Francarlos, mãe de 6 filhos e 10 netos. Começou a trabalhar aos 11 anos na roça para ajudar sua mãe e criar os irmãos mais novos. Trabalhou por mais de 30 anos como cozinheira líder na Dedini, onde lá se aposentou. Mãe e avó zelosa mulher de muita fé. Fez parte do Conselho Deliberativo da Escola de Samba Ekyperalta.


MARILENE NASCIMENTO SILVA

Nasceu em 22 de outubro de 1943. Mãe de 2 filhos e 2 netos. Foi a primeira proprietária de um salão afro: "Luanda Cabeleireira”. Sempre envolvida com as questões da comunidade negra, fazendo intercâmbio com São Paulo. Realizou eventos no 13 de Maio, como a "Beleza Negra", com a participação do Grupo Raça Negra. Apoiou candidatos negros, principalmente a deputado estadual, com o pensamento coletivo que só unidos poderíamos fazer "mudanças".


PADRE ADEMILSON LOPES DA SILVA

Nasceu em Auriflama (SP). Aos 3 anos mudou-se com a família para região de Americana (SP), onde acabaram ficando por 35 anos em Santa Bárbara d'Oeste. Formou-se em Técnico Contábil, mas seguiu sua vocação e tornou-se padre. Está à frente da Paróquia Divino Pai Eterno de Piracicaba há 11 anos e, também, da Pastoral Afro há 5, animando grupos e realizando missas afro em diversas cidades.


PAULO VERÍSSIMO JÚNIOR

Nasceu em Piracicaba em 6 de janeiro de 1959. Carismático, fazia amizades facilmente. Em 1977, já com 18 anos, começa a trabalhar na biblioteca da Esalq/USP, onde monta o primeiro time de futebol para participar do 1º Campeonato da Sinfesalq. Como técnico de futebol (2000) cria o Palmares, time que manteve por anos disputando campeonatos. Promoveu a 1º Feijoada do Palmares, daí nasceu a primeira versão do Grupo Quilombola.


  • Facebook Clean
  • Instagram Clean
  • White YouTube Icon