• O Canal da Lili

ISTs e saúde bucal: medidias preventivas evitam contaminação durante a relaxão sexual


O o uso do preservativo é indispensável para a prevenção às ISTs - Imagem: Adobe Stock

Embora a probabilidade seja menor do que em outras práticas, as ISTs (Infecções Sexualmente Transmissíveis) também podem ser adquiridas por meio do sexo oral desprotegido. De acordo com a PNS (Pesquisa Nacional de Saúde), divulgada em 2021 pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), apenas 22,8% das pessoas acima de 18 anos no Brasil declararam fazer uso do preservativo em todos os tipos de prática sexual que tiveram nos últimos 12 meses anteriores à entrevista.


Raul Silva, consultor da GUM, marca americana de cuidados bucais, afirma que doenças, como herpes, HPV, sífilis, gonorreia e, menos comumente, o HIV, são enfermidades que podem ser contraídas durante as relações sexuais orais, apesar de a mucosa bucal dispor de uma barreira natural. “Normalmente, a contaminação pode ocorrer quando existem microfissuras na boca e pele adjunta. Além disso, essa região também reflete sintomas de algumas doenças sistêmicas, mesmo que não tenham sido transmitidas por essa via, como a candidíase recorrente, por exemplo”, explica.


De acordo com o profissional, dentre os principais sintomas ocasionados por essas enfermidades, é preciso se atentar ao surgimento de bolhas, verrugas, secreções amareladas, feridas dolorosas que não cicatrizam e líquido branco espesso ao redor da mucosa das bochechas e no dorso da língua. “Esses sinais precisam ser examinados o quanto antes, para que haja um diagnóstico precoce e um prognóstico favorável. Outro ponto importante é que a testagem periódica deve se tornar um hábito, para manter a qualidade de vida sexual e proteger o parceiro”, declara.

Mesmo que a essencialidade do uso da camisinha durante o sexo oral não seja de conhecimento e aceitação da maior parte das pessoas, fazendo com que sua transmissão cresça numericamente, o uso do preservativo é indispensável. Nos casos de aparecimento de feridas e verrugas, existem cuidados para as fases das doenças, como pomadas para alívio da dor e medidas de cauterização.


“Algumas dessas infecções são perenes e apresentam sintomas ao longo da vida do paciente, sendo fundamental realizar tratamento constante e ter acompanhamento médico e odontológico”, destaca. Com a medicação adequada, o portador pode deixar de transmitir a doença e permanecer sem sintomas por muitos anos.


Por fim, é necessário ter em mente que para garantir a saúde bucal em dia, a higienização constante é imprescindível. A escovação realizada três vezes ao dia, acompanhada do uso do fio dental, evita o surgimento de outras doenças e problemas dentários, facilitando o processo de tratamento das ISTs.


Sobre a GUM

Lançada há 50 anos nos Estados Unidos, a GUM é a principal marca de cuidado bucal da Sunstar, empresa de origem japonesa, sediada na Suíça, que está presente em mais de 90 países ao redor do mundo e é reconhecida pela fabricação e distribuição de produtos inovadores para saúde bucal. Na América Latina, a Sunstar possui operação direta no México, Argentina, Colômbia e Brasil. Presente no País desde 2014, o portfólio GUM conta com linhas diferenciadas para cuidado bucal diário e especializado. A marca atua em quatro categorias: limpeza interdental, linha ortodôntica, adulta e infantil. Seus produtos podem ser encontrados nos principais mercados e farmácias do País.

  • Facebook Clean
  • Instagram Clean
  • White YouTube Icon