top of page
  • Foto do escritorO Canal da Lili

História da boneca Barbie pode influenciar o apropriamento da autoestima das mulheres


Psicóloga Ana Streit: “A Barbie mostra para mulher que ela é importante e valiosa" - Imagem: Pixabay

Diferente do que muita gente imagina, o filme da Barbie, que estreou no dia 20 de julho, está longe de nutrir o ideal da mulher ser o sexo frágil. A história da boneca aponta para uma mulher forte e independente, começando pelo slogan: “você pode ser tudo que você quiser”. Prova disso são as inúmeras profissões que a boneca teve ao longo da história, sendo mais de 180 carreiras. Algumas, ainda dominadas por homens, como: astronauta, piloto de avião, engenheira robótica, piloto de corrida, desenvolvedora de jogos, entre outras. A psicóloga Ana Streit chama a atenção para o que estes aspectos da personagem ensinam para as mulheres. “A Barbie mostra para mulher que ela é importante e valiosa. Que pode ter a carreira que quiser, e, principalmente que somos protagonistas de nossas vidas”, afirma.



Hoje, a mulher tem um espaço maior no mundo dos negócios, mas que foi conquistado aos poucos. E ainda está longe de ser o ideal. Mas, a Barbie já vem apontando isso há pelo menos 60 anos. “Outra lição que o filme aponta é que o parceiro dela, o Ken, é secundário. Ela existe e faz sucesso sem necessariamente ter uma figura masculina ao lado para garantir o seu valor na sociedade. Tem muita mulher que não se sente plena por não ter um relacionamento ou mesmo, que se sujeita a um companheiro abusivo, só para não ficar sozinha. Quantas meninas nunca tiveram um Ken e sempre brincaram felizes com sua Barbie?” diz Ana.


Outro ponto, é a tendência social que cobra a mulher para ter filhos e uma família. Foram lançadas alguns pequenos bonecos, que fizeram o papel de filhos, mas, isso não é o centro da história da Barbie. “O convite implícito é que existe a possibilidade da mulher escolher se quer ter filhos ou não, e se quer quer ter um relacionamento conjugal, ou não. Mas, nada disso é compulsório, e sim, uma escolha”, pontua a psicóloga.


Antes mesmo do lançamento do filme, nos desenhos da Barbie, a personagem já trazia alguns ensinamentos. Ela passava por processo de altos e baixos e sempre conseguia resolver os empecilhos por ela mesma sem a necessidade de um “salvador”, mesmo com um par no final. Segundo a psicóloga, o filme aborda questões que devem ser refletidas pelas mulheres, como: a realidade de uma sociedade patriarcal e os impactos do machismo no que uma mulher entende que sejam seus sonhos e desejos, bem como, os desafios enfrentados pelas mulheres no seu espaço profissional.


A jornada da boneca Barbie, tanto no filme, quanto ao longo de sua história, pode ser vista como uma oportunidade de importantes reflexões sobre o papel da mulher na sociedade e as atualizações deste papel ao longo dos anos.


“A psicologia não é uma ciência desconectada da sociedade, pelo contrário. É preciso compreender as questões contextuais que nos impactam como seres humanos, e que se interrelacionam constantemente com o nosso mundo interno”, enfatiza Ana Streit.

Comments


  • Facebook Clean
  • Instagram Clean
  • White YouTube Icon
bottom of page