top of page
  • Foto do escritorO Canal da Lili

Ginecologista explica a influência dos níveis hormonais no desempenho esportivo das mulheres


A prática de exercícios aumenta o nível de neurotransmissores, que produzem a sensação de relaxamento - Imagem: Adobe Stock

Mensalmente, o corpo da mulher sofre com oscilações hormonais devido ao ciclo menstrual. O útero se prepara para receber um embrião - e na falta da fecundação, ocorre a menstruação. Neste intervalo, que pode durar entre 25 e 35 dias, acontece uma variação na taxa hormonal, que influencia diretamente na disposição da mulher. Por isso, adaptar o ciclo menstrual ao treino, pode ser uma boa estratégia para obter melhores resultados.

De acordo com Renato de Oliveira, ginecologista e obstetra da Criogênesis, o ciclo menstrual é dividido em quatro fases - menstruação, folicular, ovulação, lútea - e em cada uma delas, há o aumento e diminuição da taxa de hormônios. “É comum que em algumas fases a mulher se sinta mais enérgica, enquanto outras trazem a sensação de desânimo e exaustão. Por isso, ter o autoconhecimento a respeito do ciclo menstrual ajuda na adaptação do melhor exercício para cada fase do ciclo”, afirma o médico.



O especialista explica que o período menstrual costuma ser um momento do mês onde muitas mulheres se sentem menos dispostas para treinar e isso não é por acaso. “São diversas as oscilações hormonais que o corpo enfrenta, provocando uma série de incômodos. É normal sentir indisposição, dores, inchaço e fraqueza. Esses sintomas ocorrem por conta dos baixos níveis de estrógeno, hormônio relacionado à disposição e ao sono”, contextualiza.

Renato de Oliveira ressalta que muitas mulheres, ao longo do período menstrual, ficam mais cansadas que o normal ou sofrem com as cólicas menstruais, o que pode refletir na queda de desempenho durante os treinos: “Durante esse processo, que dura em média seis dias, ocorre uma drástica queda da concentração de progesterona e por consequência, a redução de desempenho e aumento da fadiga física e nervosa. Embora os sintomas variem de mulher para mulher, é comum que neste período se sinta dores nos seios, irritabilidade, dores de cabeça e retenção de líquidos”, pontua.

O ginecologista garante que é compreensível que se perca a motivação durante o ciclo menstrual, mas a rotina de treino tem suas vantagens e deve ser mantida. “A prática de exercícios aumenta o nível de neurotransmissores, que produzem a sensação de relaxamento e bem-estar. Se a mulher estiver se sentindo muito cansada, o ideal é reduzir o treino, seja ele aeróbico ou de força. Andar de bicicleta, caminhar, fazer yoga e pilates são algumas indicações, isso porque esses exercícios auxiliam na respiração, na concentração e no relaxamento”, sugere.

O ginecologista reitera que apesar dessas indicações de atividades mais leves, a intensidade do treino é variável e deve ser montada conforme o ciclo menstrual da mulher. “Um treino bem elaborado, que leva em consideração a individualidade, o ânimo e todas as alterações fisiológicas, certamente trarão benefícios no decorrer do ciclo menstrual”, finaliza.


Sobre a Criogênesis

A Criogênesis, que nasceu em São Paulo e possui mais de 19 anos de experiência com células-tronco, é membro institucional da AABB (Associação para o Avanço do Sangue e Bioterapias). A clínica é referência em serviços de coleta e criopreservação de células-tronco, medicina reprodutiva, gel de plaquetas e aférese, incluindo a diferenciada técnica de fotoférese extracorpórea. Sua missão é estimular o desenvolvimento da biotecnologia através de pesquisas, assegurando uma reserva celular para tratamento genético futuro. Link

Comments


  • Facebook Clean
  • Instagram Clean
  • White YouTube Icon
bottom of page