top of page
  • Foto do escritorO Canal da Lili

Eventos extremos: chuvas intensas estão ligadas às mudanças climáticas, afirma “Corredor Caipira”

Participação do Corredor Caipira no CleanUp Day - Foto: Rafael Bitencourt

A ocorrência de eventos climáticos extremos, que geram fortes chuvas ou intensificam cenários de seca, está diretamente relacionada às mudanças climáticas. É o que afirmam técnicos do projeto “Corredor Caipira: Conectando Paisagens e Pessoas”, que é realizado no interior paulista e reúne ações de reflorestamento, conservação e educação ambiental, com patrocínio da Petrobras, através do Programa Petrobras Socioambiental.


O “Corredor Caipira” é realizado pela Fealq - Fundação de Estudos Agrários Luiz de Queiroz e pelo Nace-Pteca - Núcleo de Apoio à Cultura e Extensão Universitária em Educação e Conservação Ambiental da Esalq/USP - Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz/Universidade de São Paulo. O “Corredor Caipira” é vinculado à linha de atuação Florestas (no escopo do Programa Petrobras Socioambiental), que fomenta iniciativas voltadas à conservação e recuperação de ecossistemas terrestres com foco na remoção de carbono da atmosfera e na manutenção de seus estoques.





“As fortes chuvas que nós temos visto no Rio Grande do Sul nos últimos dias são uma das consequências das mudanças climáticas, que resultam em eventos extremos, como secas prolongadas em algumas regiões e em chuvas intensas em outras”, afirma Germano Chagas, um dos coordenadores técnicos do “Corredor Caipira”. “Essas mudanças climáticas são decorrentes da emissão de gases de efeito estufa para a atmosfera, que tem como origem diferentes fontes, como o transporte pela queima de combustíveis fósseis, a indústria, a produção de energia elétrica e o desmatamento, que, no caso do Brasil, é a principal fonte de emissão desses gases”, completa Germano.


Florestas desempenham papel fundamental

De acordo com Germano Chagas, as florestas desempenham um papel fundamental na mitigação do aquecimento global e das mudanças climáticas, de forma a evitar a ocorrência de eventos climáticos extremos. “Um dos gases de efeito estufa é o gás carbônico e as florestas atuam como grandes reservatórios de carbono, principalmente na madeira das árvores e no solo. Ao queimar essas florestas, a maior parte desse carbono que estava estocado é lançado na atmosfera causando aquecimento global e intensificando as mudanças climáticas”, explica Germano.


“Por essa razão, recuperar as florestas é muito importante para reduzir o avanço das mudanças climáticas. Através de processos como a restauração florestal e a produção em SAFs - Sistemas Agroflorestais, nós podemos reter parte do gás carbônico presente na atmosfera na biomassa das plantas através do processo de fotossíntese”, aponta Girlei Cunha, consultor florestal do projeto.


Mobilização da população e políticas públicas

O “Corredor Caipira” aponta, ainda, a importância da articulação das pessoas nesse processo, inclusive, junto a formulação de políticas públicas que impeçam ou, ao menos, dificultem o desmatamento. “É fundamental a mobilização da população para elaboração de políticas públicas locais junto a movimentos sociais e ao poder público, de forma a estabelecer planos municipais de mitigação dos efeitos das mudanças climáticas, considerando aspectos como a redução de combustíveis fósseis e implementação de modelos de produção de alimentos mais sustentáveis e agroecológicos”, diz Karine Faleiros, coordenadora de educação e políticas públicas do projeto.


“Além disso, é fundamental consolidar políticas públicas que criem fundos para grandes investimentos que dificultem o corte de árvores, o desmatamento e a flexibilização do uso de áreas de preservação permanente urbanas e rurais”, completa Karine.


Membros do Corredor Caipira em trabalho na floresta - Foto: Jessica Lane


Mais 50 hectares e 90 mil mudas

O “Corredor Caipira”, iniciou em 2024 a sua segunda edição, que ocorrerá pelos próximos quatro anos, em que serão implantados 50 hectares de florestas e agroflorestas, que se somam aos 65 hectares implantados na primeira edição do projeto, realizada entre 2020 e 2022, totalizando 115 hectares onde serão feitos os trabalhos de restauração, monitoramento e manutenção. Além disso, o projeto fará o plantio de quase 90 mil mudas de árvores de espécies nativas. Serão realizadas, de maneira conjunta e integrada a esses processos de restauração ecológica, ações educativas voltadas às questões socioambientais e à conservação da fauna, além de iniciativas de políticas públicas locais e de comunicação.


A iniciativa tem como área de atuação direta os municípios paulistas de Piracicaba, Águas de São Pedro, São Pedro, Santa Maria da Serra e Anhembi.






“Corredor Caipira”

O projeto “Corredor Caipira” tem como objetivo favorecer o estabelecimento de paisagens sustentáveis, por meio da conservação e da restauração ecológica; a gestão do território e a produção sustentável, tendo como destaque o fomento de corredores ecológicos que conectem, além das áreas com relevante importância para a manutenção da biodiversidade, saberes e políticas públicas relacionadas, a fim de promover sustentabilidade e melhores condições existenciais.

Comments


  • Facebook Clean
  • Instagram Clean
  • White YouTube Icon
bottom of page