top of page
  • Foto do escritorO Canal da Lili

Educação: estreitar relações com escola pode ser decisivo para processo de aprendizagem


Famílias que mantém proximidade com professores e equipe pedagógica contribuem para melhorar desempenho de crianças e adolescentes nos estudos - Imagem: Envato

Uma pesquisa realizada pelo Datafolha durante a pandemia demonstrou que, apesar do distanciamento físico entre estudantes e professores, o período favoreceu a aproximação dos pais e responsáveis das escolas frequentadas por crianças e adolescentes. Mais da metade dos entrevistados afirmaram participar mais da vida escolar de seus filhos devido às aulas remotas.


Contribuir na hora de fazer a lição de casa, estar presente em eventos e atividades propostos pela escola, ter uma comunicação aberta com os professores e a equipe pedagógica são apenas algumas formas de praticar essa aproximação.




A importância dessas ações já foi amplamente comprovada por uma série de estudos. Dados do Pisa - Programa Internacional de Avaliação de Estudantes, por exemplo, mostram estudantes cujos pais participam da vida escolar estão, em média, 57 pontos à frente dos demais em termos de desempenho. O Pisa avalia estudantes de 15 anos em cerca de 70 países e é atualmente uma das mais importantes avaliações educacionais do mundo.


Para o coordenador do 9.° ano dos ensinos fundamental e médio do Colégio Positivo - Master, Jonatas Carneiro, é fundamental compreender que a boa interação da tríade “família-aluno-escola” deve ser vista e entendida como algo imprescindível para o contexto escolar atual. “As famílias que não possuem essa convivência precisam ser integradas a essa dinâmica. A interação com as famílias tem se tornado gradativamente mais natural. Isso é importante para romper com o paradigma dos anos 1990, quando, ao receber um contato escolar, o responsável já perguntava “O que houve?”, porque a escola só buscava contato com as famílias em caso de problemas (e vice-versa). Hoje, a dinâmica mudou. Temos a oportunidade de tornar o ambiente escolar ainda mais agradável para aqueles que mais nos interessam: nossas crianças e jovens”, afirma.


Integração fundamental

A integração entre as ações das famílias e da escola não é apenas uma sugestão no Brasil, mas, sim, uma obrigação constitucional. Afinal, a Constituição estabelece que a educação é um direito de todos e um dever do Estado e da família. Não basta, portanto, oferecer uma educação formal de qualidade; é preciso garantir que essa educação tenha continuidade para além dos muros da escola.


De acordo com a coordenadora do 7.º ao 9.º ano do Ensino Fundamental do do Colégio Positivo - Jardim Ambiental, Andressa Henneberg, quando a família e a escola estão alinhadas com metas e responsabilidades adequadas aos papéis que desempenham, é construída uma rede de apoio forte para ajudar crianças e adolescentes a se desenvolverem nos ambientes escolar, familiar e social. Esse cuidado compartilhado garante que o estudante tenha tudo o que precisa para alcançar o sucesso, mantendo-se estimulado e seguro, pois as ações dos adultos ao seu redor permitem que ele perceba o melhor caminho a seguir. Embora possa parecer complicado, o acompanhamento das responsabilidades estudantis, como tarefas, engajamento, frequência e relacionamentos, é a maneira pela qual a família demonstra o valor que atribui à educação do filho. Ao participar de reuniões com professores e coordenadores, é que a rede de proteção é formada de maneira personalizada”, pontua Andressa.

Comentários


  • Facebook Clean
  • Instagram Clean
  • White YouTube Icon
bottom of page