top of page
  • Foto do escritorO Canal da Lili

Documentário dos 50 anos do Salão de Humor de Piracicaba tem pré-estreia no Teatro do Engenho


Equipe entrevista Junior Kadeshi, diretor do Salão, para o documentário - Foto: Divulgação/CCS

O documentário que conta a história dos 50 anos do Salão Internacional de Humor de Piracicaba tem pré-estreia na segunda-feira (23), às 19h, no Teatro Municipal Erotides de Campos, o Teatro do Engenho. Salão Internacional de Humor de Piracicaba – 50 anos marca o meio século de existência do evento piracicabano, considerado um dos mais importantes do circuito do humor gráfico do mundo. A entrada é gratuita e os ingressos devem ser retirados na bilheteria do teatro a partir das 18h30. Após a pré-estreia haverá stand up com o coletivo Risadaria.


O documentário é uma produção da Prefeitura de Piracicaba, por meio do CCS - Centro de Comunicação Social, da Semac - Secretaria Municipal da Ação Cultural e do Cedhu - Centro Nacional de Documentação, Pesquisa, e Divulgação do Humor Gráfico de Piracicaba. A curadoria de conteúdo, direção, locução e produção é do jornalista Rafael Bitencourt.



O inédito material contém depoimentos de diversos fundadores do Salão, como Zelio Pinto, além de renomados artistas que participaram e ainda participam do evento, diretores, do presidente da edição, Paulo Bonfá, e também do secretário da Semac, Carlos Beltrame, e do prefeito Luciano Almeida.


O prefeito Luciano Almeida destaca a relevância de marcar o meio século do Salão Internacional de Humor de Piracicaba em um documentário. “O Salão de Humor, como um patrimônio imaterial de Piracicaba, ganha agora um documento atemporal para celebrar estes vitoriosos 50 anos de existência. A produção está linda e engrandece ainda mais este evento que mostra a vocação cultural da cidade”, disse.


Junior Kadeshi, diretor do Cedhu, fala da dinâmica do documentário por meio de depoimentos históricos. “São depoimentos de seus fundadores, de artistas que fizeram parte dele e de equipes que, anualmente, fazem com que o evento cresça e alcance novos patamares. Este documentário marca essa data especial, em que o Salão completa meio século, relembrando seu passado, e de olho no futuro”.


Marcela Galvão é atriz, comediante e redatora - Foto: Divulgação/CCS

“Não foi fácil compilar 50 anos em pouco menos de uma hora de filme. É muita história e histórias incríveis de pessoas que fizeram desse evento um dos maiores do mundo na área do humor gráfico. O documentário consegue traçar um panorama entre a história do Brasil, a partir de um de seus períodos mais conturbados, que foi a Ditadura, no início dos anos 1970, até os tempos atuais, tendo Piracicaba como o ponto de convergência para artistas não só do Brasil, mas do mundo todo, provocarem, instigarem e levarem à reflexão por meio do humor”, ressalta Tássia Espego, diretora do CCS.


Carlos Beltrame, titular da Semac, enfatiza que o documentário foi feito para comprovar, mais uma vez, a importância do Salão ao mundo. “A 50ª edição do Salão de Humor está atual, inteligente e engraçada. Não se trata apenas de um evento que existe há cinco décadas, mas sim um evento relevante a nível mundial no que diz respeito ao humor gráfico. O documentário comprova tudo, com depoimentos e histórias incríveis”, destaca.


Paulo Bonfá, presidente do Salão de Humor há quatro edições consecutivas, aponta que o documentário do Salão Internacional de Humor de Piracicaba “é mais um registro da importância deste movimento cultural ao longo das últimas cinco décadas”.


O diretor Rafael Bitencourt, também autor do livro reportagem Quase Um Cinquentão, que aborda histórias do próprio Salão, revela que, para a produção, ainda foi realizada uma curadoria de imagens, com fotos, vídeos, materiais publicados na imprensa. “Para desenvolver o roteiro, foi realizada uma série de pesquisas bibliográficas, em veículos de imprensa e também no acervo do Salão, que reúne um material muito amplo desde os seus primórdios. O ponto de partida é o início do Salão, o que motivou os fundadores a criarem, durante a Ditadura, um evento de teor crítico. Por isso, há todo um cuidado para levar o espectador à compreensão daquele período, as influências, os esforços”, conta.


Laerte, que participou assiduamente do Salão, é uma das entrevistada do documentário - Foto: Divulgação/CCS

REPRISES

A produção estreia na última semana de visitação da 50ª edição, cuja mostra principal no Armazém 14, no Engenho Central, fica aberta de quinta e sexta-feira. O documentário será exibido durante esta última semana de visitação no Anfiteatro Henfil, no Armazém 14, na quinta (26), e na sexta-feira (27), às 18h30, e no sábado (28) e domingo (29), às 14h e 18h.


CARICATURAS E STAND UP COMEDY

Antes do início da sessão do documentário no Teatro do Engenho, os artistas Eduardo Grosso, Erasmo Spadotto e Erico e Fábio San Juan estarão no hall do espaço, a partir das 18h30, fazendo caricaturas do público. Após a exibição do documentário, às 20h, no palco do Erotides de Campos, o coletivo Risadaria apresentará o stand up comedy SuperShow, que contempla diferentes gêneros do humor em uma única apresentação. Os comediantes do espetáculo são Luciano Guima, Marcela Galvão e Victor Ahmar.


SERVIÇO

Lançamento do documentário Salão Internacional de Humor de Piracicaba – 50 anos: segunda-feira (23), às 19h, no Teatro Municipal Erotides de Campos, seguido do stand up comedy SuperShow. Entrada gratuita. Retirar ingresso uma hora antes da sessão na bilheteria do teatro. Local: avenida Dr. Maurice Allain, 454, na Vila Rezende. Informações: (19) 3403-2600.

Comments


  • Facebook Clean
  • Instagram Clean
  • White YouTube Icon
bottom of page