• O Canal da Lili

Deputada Professora Bebel faz defesa da democracia diante de ameaças de Bolsonaro


Deputada Bebel diz que é preciso reagir às ameças graves à democracia feitas por Bolsonaro, esclarecendo a juventude e a população - Imagem: Divuglação

Em suas redes sociais, a deputada estadual Professora Bebel (PT) fez postagem em defesa da democracia e das eleições gerais deste ano. É uma resposta aos ataques que o presidente Jair Bolsonaro tem feito à democracia e a realização das eleições no Brasil, sendo a última delas em encontro, no Palácio do Planalto, no último dia 18 de julho, quando se reuniu com embaixadores de diversos países e fez ataques à democracia, considerada pela deputada como uma das mais graves ameaças à democracia brasileira.


Para a deputada Bebel, “é preciso ir às ruas, participar das atividades do movimento Juntos pelo Brasil, esclarecer a população sobre o que está em jogo para garantir a realização das eleições e conquistar uma vitória histórica sobre esse governo genocida, golpista e destruidor”.



De acordo com os principais veículos de comunicação, desta vez Bolsonaro foi além do que se podia imaginar. Mesmo diante de tudo que já se viu e está se vendo neste país, pegou muito mal a fala do presidente Jair Bolsonaro (PL) aos embaixadores, criticando as urnas eletrônicas, inclusive virou até manchete internacional. Além da mesma conversa contra as urnas, Bebel diz que Bolsonaro emendou seu palavreado contra o STF (Supremo Tribunal Federal) e o TSE (Tribunal Superior Eleitoral).


Diante das falas de Bolsonaro, o jornal britânico “The Guardian” escreveu que o sistema de votação no Brasil é utilizado desde 1996 e nunca ninguém reclamou de nada, assinalando que as críticas do líder da extrema-direita brasileira são infundadas e põem em risco as eleições de outubro. O “The New York Times”, por seu lado, classificou a conversa com os diplomatas como uma estratégia pela a eleição que ele vai perder, como dizem as pesquisas eleitorais. O jornal americano ainda comparou a conduta de Bolsonaro à de Donald Trump, que desacreditava as eleições nos Estados Unidos. Já o “The Washington Post” publicou que Bolsonaro não apresentou nenhuma evidência de suas afirmações, indicando que o presidente está preparando um clima para rejeitar o resultado da eleição.


A informação que circula nos principais veículos de comunicação do país é de que a maior parte dos embaixadores que participaram da reunião não ficou convencida com as acusações de Bolsonaro. Quase todos farão um relatório aos seus governos dizendo que Bolsonaro fala, fala, volta a falar, repete, critica, critica, mas não apresenta nenhuma prova de tudo que vem dizendo. Muitos diplomatas chegaram a dizer que estão preocupados com a democracia no Brasil e que o presidente deixou claro que vai questionar o resultado da eleição presidencial, caso perca para Luiz Inácio Lula da Silva (PT).


Afirmaram, ainda, que essa desavença de Bolsonaro com o STF e o TSE tem um forte componente político. Por fim, assinalaram que os ataques do presidente chegaram a causar profundo constrangimento, especialmente as críticas nominais aos ministros Edson Fachin, Luis Roberto Barroso e Alexandre de Moraes. Resumindo a história, os embaixadores presentes à reunião afirmaram que Bolsonaro representa uma ameaça para a democracia brasileira.


Para Bebel, principal liderança do PT em toda região, é preciso reagir. “Não nos deixemos enganar pela forma atabalhoada de Bolsonaro. Ele quer destruir o sistema eleitoral e a democracia brasileira. Não vamos permitir. Defender a democracia é tarefa de todos os brasileiros, sobretudo dos formadores de opinião. Portanto, professores e professoras, temos um papel fundamental neste momento, esclarecendo a juventude e a toda a população”, escreveu a parlamentar em suas redes sociais.


  • Facebook Clean
  • Instagram Clean
  • White YouTube Icon