top of page
  • Foto do escritorO Canal da Lili

Conespi denuncia aumento de 21,4% no número acidentes de trabalho em Piracicaba (SP)


Wagner da Silveira, o Juca dos Metalúrgicos, adverte que a cidade teve 13 trabalhadores que foram a óbito no ano passado - Imagem: Divulgação

Neste 28 de abril, quando se comemora o Dia Mundial em Memória as Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho, o Instituto Conespi - Conselho das Entidades Sindicais de Piracicaba denuncia o aumento de acidentes de trabalho em Piracicaba (SP). De acordo com dados do Cerest - Centro de Referência em Saúde do Trabalhador, no ano passado foram registrados 8.139 acidentes, aumento de 21,4% em relação ao ano de 2021, quando foram constados 5.704 acidentes de trabalho. De acordo com dados do Cerest, em 2020, Piracicaba teve 5.786 acidente de trabalho.






De acordo com o presidente do Instituto Conespi, Wagner da Silveira, o Juca dos Metalúrgicos, foram 20.629 acidentes envolvendo trabalhadores, conforme o levantamento do Cerest. “Infelizmente, foi registrado um aumento de 44% no número de acidentes de trabalho de 2020 para 2022. Também foi registrado aumento no número de vítimas fatais, que no ano de 2020 foram nove casos, enquanto que em 2021 um total de 11 mortes de trabalhadores, e no ano de 2022, Piracicaba teve 13 vítimas fatais”, lamenta.


Já o vice-presidente do Instituto Conespi, José Antonio Fernandes Paiva, diz que esses números revelam que, no ano passado, em média, Piracicaba registrou mais que um acidente de trabalho por hora. “Tivemos 8139 acidentes. Se excluirmos dos 365 dias do ano, os domingos, sábados e feriados, chegamos a mais do que um acidente de trabalho por hora na cidade”, calcula.


Para a direção do Conespi, é fundamental o trabalho de prevenção e o fortalecimento tanto do Cerest como do Ministério do Trabalho, que foi sucateado no governo anterior. “Felizmente, com o presidente Lula, o Ministério do Trabalho está sendo reorganizado e queremos discutir com o ministro do Trabalho, Luiz Marinho, o fortalecimento e a abertura do diálogo do movimento sindical com o Ministério do Trabalho em Piracicaba, já neste mês de maio, dentro das atividades do mês do trabalhador”, ressalta Paiva.


Conforme o levantamento do Cerest, ainda, 81,8% dos acidentes foram típicos, nos locais de trabalho, enquanto que 18,2% de trajeto. 76 % dos acidentes no trabalho ocorrem com trabalhadores do sexo masculino e 24% com o sexo feminino. Já 29,5% dos acidentes ocorreram com trabalhadores na faixa de 30 a 39 anos; 23 %, com trabalhadores de 18 a 24 anos; 19% de 40 a 49 anos; 16% de 25 a 29 anos; 10,9% com trabalhadores de 50 a 64 anos, e 0,5% com trabalhadores de 13 a 17 anos.

Comments


  • Facebook Clean
  • Instagram Clean
  • White YouTube Icon
bottom of page