top of page
  • Foto do escritorO Canal da Lili

CineSolar leva sessões gratuitas de cinema à população de Capivari (SP), no dia 8 de agosto


O CineSolar, que em 2023 completa 10 anos, transforma espaços públicos e abertos em salas de cinema - Imagem: Pedro Cerqueia/CineSolar

O CineSolar, o primeiro cinema itinerante movido a energia solar do Brasil, chega a Capivari (SP) com sessões gratuitas para a população e oficina de educação ambiental e linguagem audiovisual para crianças e jovens. Com patrocínio da CPFL Energia e apoio do Instituto CPFL e da Prefeitura de Capivari, serão exibidos curtas-metragens e o filme “Mogli - O Menino Lobo”, em agosto, na terça-feira (8), a partir das 18h, na Praça Central. As sessões contam com distribuição de pipoca e o público pode visitar o furgão, que carrega todo o cinema e se transforma numa estação móvel de ciências, arte, tecnologia, sustentabilidade e cultura de paz.


O CineSolar, que em 2023 completa 10 anos, transforma espaços públicos e abertos em salas de cinema e já realizou cerca de 1.870 sessões (com exibição de 180 filmes) e 576 oficinas para 284 mil pessoas de quase 600 cidades, de 23 estados e do Distrito Federal. O projeto já percorreu mais de 250 mil quilômetros pelo País e atua com o objetivo de democratizar o acesso às produções audiovisuais (principalmente as nacionais), promover ações e práticas sustentáveis, a inclusão social e difundir a tecnologia da geração de energia solar.



“Viajando pelo Brasil presenciei o quanto nosso território é diverso e, infelizmente, desigual. Há uma escassez de equipamentos culturais e de acesso às energias renováveis. Por isso, o nosso papel sempre foi de atuar com encantamento e alegria, por meio de ações culturais e ambientais, na sensibilização e conscientização das pessoas, além de aproximá-las das novas tecnologias e das produções cinematográficas nacionais”, diz Cynthia Alario, coordenadora e idealizadora do CineSolar.


O furgão do CineSolar é adaptado com as placas fotovoltaicas no teto e carrega todo o cinema: 120 cadeiras e banquetas, os sistemas de conversão de energia e armazenamento (que garante 20 horas de autonomia e funcionamento), de som e projeção, incluindo a tela. Além de tudo isso, o espaço se transforma em uma estação móvel de ciências, arte, tecnologia, sustentabilidade e cultura de paz.


Com infográficos, iluminação e decoração especial - feita com materiais reciclados e objetos com princípios de magnetismo e eletricidade como laser e bola de plasma -, o veículo é uma atração à parte, que encanta pessoas de todas as idades e mostra, de maneira descontraída e divertida, como a luz do sol se transforma em energia elétrica.


CineSolar já passou por Araçoiba da Serra - Imagem: Pedro Cerqueia/CineSolar

Nas sessões de cinema e nas oficinas, o CineSolar também colabora na difusão de ações em conjunto com a Unesco Representação Brasil, e cumpre 10 dos 17 ODS - Objetivos de Desenvolvimento Sustentável propostos pela ONU - Organização das Nações Unidas: saúde de qualidade; igualdade de gênero; redução das desigualdades; consumo e produção responsáveis; paz, justiça e instituições eficazes; educação de qualidade; energias renováveis; cidades e comunidades sustentáveis; combate às mudanças climáticas; e parcerias e meios de implementação.


“Para nós, difundir os ODS é fundamental, tanto para sensibilizar a população, na compreensão de que todos nós fazemos parte deste grande ecossistema vivo do Planeta Terra, e que somos responsáveis pelas mudanças possíveis de serem feitas hoje, quanto para deixarmos esse legado nas cidades, nas comunidades por onde passamos”, destaca Cynthia Alario.


Neste Circuito, a Sétima Produções Culturais foi convidada para selecionar os curtas-metragens infantis e ambientais com a temática “Protagonistas do Amanhã: Moldando o Futuro”. A curadoria é da diretora artística Ana Arruda, que tem se dedicado a projetos que unem cinema, artes, tecnologia e educação, como realidade virtual e laboratórios internacionais de narrativas imersivas. Ela também é idealizadora e diretora do Curta Brasília - Festival Internacional de Curta-metragem.


A 7ª edição do CineSolar é viabilizada pela Lei Federal de Incentivo à Cultura, com patrocínio da CPFL Energia, apoio do Instituto CPFL e da Prefeitura de Capivari, por meio da Secretaria de Cultura e Turismo, e é realizada pela Brazucah Produções, Ministério da Cultura e Governo Federal.


Além das sessões de cinema, o CineSolar realiza a Oficinema Solar com crianças e jovens, que integra arte, tecnologia e sustentabilidade. O encontro on-line, com duração de até três horas, tem como objetivo sensibilizar e possibilitar a expressão dos participantes através da linguagem audiovisual, com a utilização de elementos básicos como fotografia, enquadramento e roteiro. Em Capivari será com os alunos da EE Waldemar Thomazine, na quinta-feira, dia 03 de agosto, das 8h às 11h.


Por meio da educação ambiental, os participantes são incentivados a levantar os problemas locais e conversar sobre ações sustentáveis, construindo coletivamente a história e a roteirização do filme. Todas as ações são gravadas, um curta é produzido, editado pela equipe do CineSolar e tem sua “estreia mundial” durante a sessão de cinema para a comunidade local, ficando disponível também no canal do YouTube (https://www.youtube.com/ @CINESOLARBRASIL).


PROGRAMAÇÃO

Sessões de Cinema, na Praça Central de Capivari – entrada gratuita: terça-feira, dia 8 de agosto. Horários: às 18h - 1ª sessão: curtas-metragens infantis e ambientais com o tema “Protagonistas do Amanhã: Moldando o Futuro’ e às 19h - 2ª sessão: filme ‘Mogli - O Menino Lobo”.


Atração: pipoca e visita ao furgão do CineSolar, que se transforma numa estação móvel de ciências, arte, tecnologia, sustentabilidade e cultura de paz. Local em caso de chuva: quadra da EMEIEF Prof. José Benedito Pinto Antunes, na rua Padre Fabiano, 1.351, no Centro de Capivari.


O projeto já percorreu mais de 250 mil quilômetros pelo País - Imagem: Pedro Cerqueia/CineSolar

SINOPSES DOS FILMES

1ª sessão - “A Incrível Aventura das Sonhadoras Crianças contra Lixeira Furada e Capitão Sujeira” - Direção: Beatriz Ohana - Rio de Janeiro/2019 - Ficção - 15 minutos - Livre. Quando o lixo só cresce e os adultos não dão conta do problema, João Pedro, Sophia e as crianças do QG dos Sonhadores entram em ação para derrotar os inimigos do bairro: Lixeira Furada e Capitão Sujeira. Uma aventura cheia de imaginação, que apresenta o olhar de crianças sobre o lugar em que vivem.


“Trincheira” - Direção: Paulo Silver - Alagoas/2020 - Ficção - 15 minutos - Livre

Num aterro de lixo, um garoto observa o imponente muro de um condomínio de luxo. Gabriel usa de sua imaginação para construir seu mundo fantástico.


“Pedro e o Velho Chico” - Direção: Renato Gaia - Minas Gerais/2017 - Animação - 18 minutos - Livre

Após acordar de um pesadelo, o garoto Pedro fica assustado com o destino do planeta. Ao entregar o lixo ao catador de material reciclável "Seu Chico", Pedro recebe do simpático velhinho um misterioso diário que o convida para uma viagem mágica pelo São Francisco revelando uma verdade assustadora sobre o Rio.


“Valentino” - Direção: Cassiana Maranha - Paraíba/2014 - Ficção - 4 minutos - Livre

Valentino tem nove anos, quando é apresentado à música por sua amiga da mesma idade, Sofia. Ele se encanta e um novo mundo se abre ao pequeno garoto. Valentino decide ser músico. Só um detalhe: ele possui surdez profunda. Uma história sobre a realização do improvável, a determinação para alcançar um objetivo e o valor do amor. Valentino ouve menos e sente mais.


“Lily’s Hair” - Direção: Raphael Gustavo da Silva - Goiás - 14min – Ficção/2019 – Livre

Audiodescrição, closed caption, libras

Lily é uma garota negra que não gosta de seus cabelos. Com a ajuda de Caio, seu amigo cadeirante, tenta ter os cabelos do jeito que sempre sonhou.


2ª sessão - ‘Mogli - O Menino Lobo’ - Duração: 1h51 - Gênero: Aventura/Fantasia - Diretor: Jon Favreau - País: EUA. A trama gira em torno do jovem Mogli, garoto de origem indiana que foi criado por lobos em plena selva, contando apenas com a companhia do urso Baloo e da pantera negra Bagheera, sem nenhum contato com humanos. O menino é amado pelos animais, mas visto como uma ameaça pelo temido tigre Shere Khan, que está decidido a matá-lo. Com a família de lobos ameaçada, Mogli decide se afastar. Baseado na série literária de Rudyard Kipling.

  • Facebook Clean
  • Instagram Clean
  • White YouTube Icon
bottom of page