top of page
  • Foto do escritorO Canal da Lili

Black Friday: psicóloga orienta compradores compulsivos a enfrentarem o desafio da megapromoção


Psicóloga explica que o dia da megapromoção pode funcionar como uma permissão de compra para aqueles que sofrem do transtorno - Foto: Freepik

A Black Friday, um dos eventos de compras mais aguardados do ano, pode ser uma verdadeira armadilha para pessoas que sofrem de oniomania, mais conhecida como transtorno do comprar compulsivo. Enquanto muitos consumidores aguardam ansiosamente pelas megapromoções, aqueles que enfrentam essa condição têm que lidar com o desafio de resistir ao impulso de gastar dinheiro em excesso, sem precisar, e às vezes até sem poder. A psicóloga Ana Streit, mestre em psicologia e saúde, explica que a compulsão tem relação com o autoalívio, sentimento esse que tem um poder muito grande sobre o paciente.


“O ato de comprar compulsivamente também funciona como válvula de escape para sentimentos e emoções. Esse comportamento vira doença quando se torna crônico e repetitivo e passa a causar algum dano a pessoa, seja social, financeiro ou emocional”, orienta a especialista.



A psicóloga explica que a Black Friday favorece uma ilusão. Os descontos acabam tirando um pouco o peso da compra para as pessoas que sofrem com o padrão da compra compulsiva e serve como uma permissão para o ato. Mas, o comprar compulsivo é um problema maior que continua mesmo após esse período.


Sinais e sintomas dos compradores compulsivos

A especialista ressalta que há alguns sinais e sintomas que podem indicar quem desenvolveu a oniomania, por exemplo: quando o desejo de comprar é causado por solidão; as compras, muitas vezes, são realizadas sem os familiares saberem; quando há descontrole financeiro e a pessoa adquire produtos que não precisa, entre outros sinais. “Todos nós gostamos de comprar algo que nos dê prazer, mas para os que sofrem de oniomania, a aquisição de novos produtos traz um alívio intenso. Só que o prazer logo é substituído por um sentimento de culpa e angústia, principalmente quando a pessoa se dá conta de que não consegue pagar o que comprou”, diz.


Como tratar a compulsão por compras?

O tratamento alia psicologia e psiquiatria, uma vez que as compulsões geralmente estão ligadas a outros transtornos mentais como ansiedade ou depressão e mesmo transtornos de personalidade. Ana pontua que em alguns casos é necessário o uso de medicação. “O primeiro passo para lidar com o comprar compulsivo é reconhecer que há um problema e a partir daí procurar ajuda profissional”, comenta.


De qualquer forma, se você é uma pessoa que não tem compulsão, mas que gostaria de estratégias para lidar com a pressão que vem com a Black Friday, a psicóloga faz algumas orientações: fazer uma lista de quais produtos você realmente precisa, definir um orçamento para gastar na Black Friday, estabelecer limites de gastos no total para o dia ou o mês. “Com atenção redobrada e um plano sólido, é possível aproveitar as promoções sem ceder aos gatilhos que desencadeiam o impulso de compra”, entatiza Ana.

  • Facebook Clean
  • Instagram Clean
  • White YouTube Icon
bottom of page