• O Canal da Lili

Bebel defende a liberdade religiosa durante o lançamento da cartilha “Respeite a Minha fé!”


A deputada Professora Bebel no lançamento da cartilha, marcado por homenagens e criação da Associação das Religiões de Matrizes Africanas de Piracicaba - Imagem: Divulgação

A deputada estadual Professora Bebel (PT) defendeu o respeito à liberdade religiosa de todos, durante o lançamento da cartilha “Respeite a Minha Fé”, evento que aconteceu na última sexta-feira (29), que reuniu dezenas de religiosos de matrizes africanas, sendo marcado inclusive pela aprovação da criação da Associação de Matrizes Africanas de Piracicaba. O lançamento da cartilha foi realizado no New Life Piracicaba By Atlântica e coordenado pela sacerdotisa e fundadora da Armac (Associação de Religiões de Comunidades Tradicionais de Matrizes Africanas de Campinas e Região), a comendadora Edna Almeida Lorenço.


De acordo com Edna Almeida, que desenvolve trabalho voltado a garantir o direito de liberdade religiosa em todo o Estado de São Paulo, a cartilha, que contêm as diversas legislações, é voltada a instrumentalizar o direito de liberdade religiosa. "Esta cartilha contêm as diversas legislações que abordam os Direitos Regidos por Lei Para os Religiosos de Matriz Africana. Infelizmente, a legislação de Piracicaba é muito pobre, mas temos legislações estaduais e federais que tratam do tema”, contou.



Ao lado de Silvana Veríssimo, da Rede Nacional de Mulheres Negras no Combate à Violência /Regional Interior, que também prestigiou o lançamento, a deputada Professora Bebel destacou o compromisso do seu mandato popular na Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo) na defesa da liberdade religiosa. "Aproveito para parabenizar a todos que participaram deste importante evento e coloco meu mandato popular à disposição de todos, que, como eu, defendem o direito de liberdade religiosa, que está assegurado na nossa Constituição”, disse Bebel.


No evento de lançamento da cartilha, que também contou com a participação, online, do presidente da Comissão de Direito de Liberdade da OAB Campinas, Ademir José da Silva, ao lado do juiz da comarca de Campinas (SP), Renato Câmera Negro, como forma de organizar as religiões de matrizes africanas na cidade e defender a liberdade religiosa de todos, o pai Ronaldo Almeida propôs a criação da Associação de Matrizes Africanas de Piracicaba, que foi aprovada por unanimidade.


Na solenidade, ainda, foram prestadas homenagens às sacerdotisas, Mãe Eva de Almeida, que desde o ano de 1989 atua no bairro Parque Piracicaba; Mãe Joana D´Arc, que desde 1981, tem seu terreiro no Jardim Esplanada, e Mãe Cecília Brioni Alves, que desde 1994 atua no bairro Cecap. A homenagem foi feita em agradecimento ao trabalho de cuidar espiritualmente da população que as religiosas desenvolvem há décadas.


  • Facebook Clean
  • Instagram Clean
  • White YouTube Icon