top of page
  • Foto do escritorO Canal da Lili

Atendimento a gestantes em São Pedro (SP) torna-se referência na Região Metropolitana de Piracicaba

Atualizado: 12 de jan.


Josiane é mãe do Gael, que nasceu no Hospital São Lucas, em São Pedro (SP) - Foto: Prefeitura de São Pedro

Há 11 anos a administração de Helio Zanatta e Thiago Silva assumiu uma importante missão em São Pedro (SP): recuperar a Saúde do município. Os serviços de acompanhamento gestacional, por exemplo, do pré-natal ao pós-natal, eram considerados tão precários no Hospital São Lucas de São Pedro, que muitas mães buscavam hospitais e maternidades de cidades vizinhas para terem seus bebês. E o resultado da evolução experimentada nos serviços de pré-natal e pós-natal ao longo dos últimos 11 anos também pode ser observado na quantidade expressiva de gestantes de outros municípios da RMP - Região Metropolitana de Piracicaba, que optam por ter seus filhos em São Pedro.


Em 2023 nasceram 327 bebês na maternidade do Hospital Beneficente São Lucas de São Pedro, entre eles 70% são-pedrenses, registrados dentro do próprio município. Dados dos SIM - Sistemas de Informações sobre Mortalidade e Sinasc - Nascidos Vivos, do Ministério da Saúde, revelam que São Pedro teve uma média de 405 partos nos últimos 11 anos, sendo 30% das gestantes de municípios vizinhos, como Águas de São Pedro, Charqueada e Santa Maria da Serra.


Segundo palavras do secretário de Saúde e Desenvolvimento Social, Leandro Carneiro Sanches, a situação deixada pelas administrações anteriores no hospital era “caótica”. “Quando assumimos, em janeiro de 2013, tínhamos um desafio imenso, que era o de recuperar a Saúde do município. Identificamos que São Pedro havia ficado pelo menos 20 anos sem investimentos adequados na área e que a população estava insatisfeita com o que existia na cidade”, relembra. “O nosso parque tecnológico estava escasso e obsoleto. Na época tínhamos no hospital somente um Pronto Socorro, que atendia somente os casos de baixa complexidade. Qualquer outra intercorrência era encaminhada para Piracicaba”, acrescenta a administradora do Hospital São Lucas, Miriam Souza.



Na avaliação de Miriam, uma das principais conquistas do hospital na administração de Helio Zanatta e Thiago Silva foi a filantropia, recuperada em menos de sete meses de gestão, e a consequente anistia da dívida do hospital, que na época girava em torno de 23 milhões de reais. “A Saúde de São Pedro não começou ontem. Ela começou 11 anos atrás e não parou jamais, segue em constante evolução”, afirma Miriam, que relembra também o ano de 2016, quando foi realizada a reforma e reestruturação geral do Hospital São Lucas. “Identificamos a necessidade de promover e fortalecer o atendimento às nossas gestantes, com o objetivo de qualificar e integrar a assistência à equipe da maternidade da Santa Casa em parceria com a Atenção Básica do município de São Pedro”, detalha.


Infraestrutura

Hoje a maternidade do Hospital São Lucas conta com uma qualificada equipe de 14 profissionais, entre médico obstetra, pediatra, anestesista, enfermeiras e técnicas em enfermagem, além de um avançado centro-cirúrgico, aparelho de cardiotocografia e um total de 11 leitos, sendo dois de pré-parto, seis de pós-parto, dois leitos clínicos e um leito para os pacientes de convênio particular.


Hospital tem um avançado centro-cirúrgico, aparelho de cardiotocografia e um total de 11 leitos - Foto: Prefeitura de São Pedro

Em São Pedro desde 2019, o médico obstetra, Vinícius Lima Gomes Moura, não acompanhou toda a evolução do atendimento na unidade, mas diz ser frequentemente abordado por pessoas que vivenciaram o antes e o depois dessa mudança. “Muitos pacientes chegam até mim e relatam como o atendimento era ruim, precário e inadequado e o quanto esses serviços melhoraram nos últimos dez, onze anos”, conta. “Gosto muito de trabalhar aqui, com uma excelente equipe e ótima infraestrutura”, acrescentou o médico, que informou que todos bebês saem da maternidade devidamente vacinados e imunizados contra a hepatite e tuberculose, com os testes do pezinho e do coração, destacando, ainda, o procedimento do parto ‘pele a pele’”, completa.


“O contato pele a pele faz parte de um conjunto de ações que possui esse paradigma do cuidado, de olhar a mãe e o bebê como protagonistas, deixando ambos em contato ‘pele a pele’, sem o clampeamento do cordão umbilical por cerca de um minuto após o parto”, explica o obstetra, com mais de 22 anos de medicina.


“Escutamos os melhores comentários, da parte dos profissionais, pacientes e familiares, a respeito da qualidade do atendimento não só da maternidade, mas de todos os serviços de saúde de São Pedro, da atenção básica, da saúde da família, do pronto atendimento até a média complexidade”, ratifica Patrícia Borki, coordenadora de enfermagem da maternidade do Hospital São Lucas. “Tudo o que precisamos a gente tem aqui. O Hospital São Lucas tornou-se uma unidade de referência para gestantes de toda a região, por isso muitas delas optam por ter seus filhos aqui”, afirma.


2_Maternidade do Hospital São Lucas possui uma qualificada equipe de 14 profissionais, entre médico obstetra, pediatra, anestesista, enfermeiras e técnicas em enfermagem - Foto: Prefeitura de São Pedro

Gestantes de municípios vizinhos

Em 2023 nasceram 327 bebês na maternidade do Hospital Beneficente São Lucas de São Pedro, entre eles 70% são-pedrenses, registrados dentro do próprio município. Esses números ajudam a compreender uma realidade inaugurada há 10 anos em São Pedro, no início da gestão Helio Zanatta e Thiago Silva, e que vem evoluindo ano a ano desde então: a melhoria do atendimento às gestantes nas unidades básicas de saúde, no atendimento pré-natal, na atenção básica e saúde da família e no acompanhamento semanal da evolução da gestação até o momento do parto e também no pós-parto.


É o caso de Josiane Nunes Pereira Vieira, de 33 anos. Após 41 semanas de gestação, a auxiliar de cozinha teve seu terceiro filho na maternidade do Hospital São Lucas. De parto normal, com 3,26 kg e 47,5 cm, Gael Pereira Vieira foi o primeiro bebê a nascer em São Pedro em 2024, às 22h22 do dia 1º de janeiro.


No entanto, o que chama atenção também é a história da mãe. Natural do município de Araçuari, em Minas Gerais, Josiane e o marido, Fábio Luis Vieira, se mudaram para São Pedro há 14 anos. Na ocasião, ela já estava grávida do primeiro filho, Luiz Fernando. No entanto, ao deparar-se com a infraestrutura precária do município, preferiu ter o filho em um hospital de Piracicaba. Já os outros dois filhos vieram nos últimos 11 anos, período que marca o início da revolução nos serviços de Saúde de São Pedro, o que influenciou diretamente na decisão do casal de realizar todo o pré-natal e o parto no município.


“Aqui os serviços de saúde funcionam, não só o atendimento de urgência e emergência, mas também no pronto atendimento e na atenção básica”, elogiou a moradora do bairro Bela São Pedro, que listou outras razões que impactaram na decisão. “Além de linda, São Pedro é uma cidade com bastante serviço. Nunca faltou trabalho para mim e para o meu marido para que possamos criar e garantir um bom futuro para os nossos filhos”.



Comentarios


  • Facebook Clean
  • Instagram Clean
  • White YouTube Icon
bottom of page