top of page
  • Foto do escritorO Canal da Lili

9º Festival de Jazz Manouche de Piracicabareúne músicos sul-americanos no Engenho Central


Hot Club de Piracicaba é anfitrião do Festival - Imagem: Antonio Trivelin

Com o objetivo de evidenciar a cena jazzística sul-americana, acontece nos dias 19 e 20 de agosto (sábado e domingo), a partir das 15h em ambos os dias, no palco externo do Teatro Erotides de Campos, no Engenho Central - em Piracicaba (SP), o 9º Festival de Jazz Manouche de Piracicaba, que reunirá músicos de países como Argentina, Chile, Venezuela e Equador, além de diferentes estados do Brasil. A entrada é gratuita.


No sábado, 19, o festival terá show do Hot Club de Piracicaba (com André Grella, Eli Silva, Eloy Porto Neto, Frank Edson, Fernando Seifarth, Marcos Moraes e Wagner Silva) com a cantora Estela Manfrinato e participação de Pa Moreno, ex-integrante da banda. No mesmo dia, se apresentam o trio Fran Seglie, Roque Monsalve (Argentina) e Rafael Marrero (Venezuela/Argentina), além do experiente Jazz Cigano Quinteto (Curitiba), Bina Coquet, Yuval Bem Lior, Marcelo Cigano e Danilo Vianna (São Paulo-Rio de Janeiro), com participação do clarinetista chileno Sebastián Abuter. A abertura ficará à cargo do grupo mineiro Outro Gato. Haverá, ainda, dança de lindy hop com os dançarinos Renata Meireles e Guilherme Ribeiro.


Já no domingo, 20, após a abertura feita pelo grupo campineiro Gadje Roma, haverá o show dos chilenos Gabriel Feller Y Ana Barría (Ana & Gabriel) e Sebastian Abuter, Bjarke Lundi (Dinamarca/Equador) e Ricardo Pellican (Argentina), com Sebastian Di Lorenzo (Argentina). Ernani Teixeira é o organizador do “Concerto em homenagem a Marcelo Modesto”, com Daniel Pezin (Campinas), Monica Marianno, Bina Coquet e Thadeu Romano (São Paulo), Fernando Seifarth (Piracicaba) e Mauro Albert (Florianópolis).


“Esse é um ano muito especial para nós, em que o festival completa 10 anos e o Hot Club chega aos 15 anos de atividades, sempre destacando o jazz cigano. Piracicaba chegou a ser chamada de ‘a capital do jazz manouche no Brasil’, o que mostra a grande aceitação ao estilo. Neste ano contaremos com grandes músicos sul-americanos e estamos certos que será mais uma edição inesquecível”, diz José Fernando Seifarth, idealizador do Hot Club e do festival.


Calendário oficial

Na última segunda-feira, 14, o Hot Club de Piracicaba (que completa 15 anos em 2023), anfitrião do Festival de Jazz Manouche, recebeu, na Câmara de Vereadores, moção de aplausos pelos seus 10 anos, uma iniciativa de autoria da vereadora Silvia Morales (PV), do mandato coletivo “A Cidade é Sua”. O evento foi iniciado em 2013, continuou a ser realizado ao longo dos anos, passou por um hiato durante a pandemia, foi retomado em 2022 e chega a sua 9ª edição em 2023.


Em 2023, também por iniciativa do gabinete do mandato coletivo “A Cidade é Sua”, por meio do co-vereador Pablo Carajol, com a aprovação da Câmara Municipal, o Festival foi incluído no Calendário Oficial de Eventos do município, conforme a lei municipal n° 9.936, de 30 de junho de 2023.


Jam sessions

Como parte da programação oficial do 9º Festival de Jazz Manouche, haverá duas jam sessions: uma na Tutta Birra na sexta, 18/08, às 19h, com couvert artístico de R$ 10; e outra no Primo Luiz, na segunda, 21/08, às 20h, com entrada de R$ 12.


Estilo e festival

O jazz manouche surgiu no início do século 20, em Paris (França), quando o guitarrista belga Django Reinhardt e o violinista francês Stéphane Grappelli formaram, junto a outros músicos, o quinteto do Hot Club de France, que, ao unir o swing americano e a improvisação jazzística ao fraseado cigano, criou o jazz manouche, ou gypsy jazz, estilo que conquistou músicos em diferentes partes do mundo.


O Festival de Jazz Manouche de Piracicaba foi realizado pela primeira vez em 2013 e, em seguida, chegou a Campinas e a São Paulo, quando o Bourbon Street Music Club sediou a primeira edição paulistana do festival. Na segunda edição do evento piracicabano, em 2014, o movimento passou a chamar a atenção no exterior, conquistando a presença de grandes artistas internacionais, como Richard Smith (Reino Unido) e Dario Napoli (Itália), o que possibilitou um intercâmbio com expoentes nacionais do estilo.


O festival continuou a ser realizado ao longo dos anos. Em 2018 foi realizada a primeira edição dedicada a artistas da América do Sul, que reuniu, na época, a participação de representantes da Argentina, Chile, Colômbia e Equador. O evento passou por um hiato durante a pandemia e, em 2022, recebeu Alma Nouche, Bina Coquet & Florian Cristea, com Danilo Vianna, Nando Vicencio e Fernando Seifarth, Marcos Moraes, Alessandro Penezzi, Sandro Haick, com participação de Julia Simões, Hot Club de Piracicaba e Lu Garcia, com participação de Renata Meireles e Guilherme Ribeiro (dança).


O 9º Festival de Jazz Manouche de Piracicaba tem produção da Empório Produções e apoio da Prefeitura de Piracicaba, por meio da Secretaria Municipal da Ação Cultural (Semac), Neurônio Adicional, Jazz Spot, Jovem Pan, Tutta Birra, Casaretto, Primo Luiz, La Maquina e New Life Hotel.


SERVIÇO

Mais informações sobre o 9º Festival de Jazz Manouche de Piracicaba podem ser obtidas no Instagram: @festivaljazzmanouchepiracicaba.

Comments


  • Facebook Clean
  • Instagram Clean
  • White YouTube Icon
bottom of page