top of page
  • Foto do escritorO Canal da Lili

3º Festival Viola da Terra terá 30 violeiros e violeiras de seis estados e três regiões brasileiras


Viola com Elas - Foto: José de Holanda

Com o intuito de evidenciar a música instrumental de viola, acontece nos dias 11, 13, 15 e 16 de junho o 3º Festival Viola da Terra, que reunirá 30 violeiros e violeiras de seis estados e três regiões brasileiras. O evento terá shows, rodas de conversa e de viola, oficinas, exposições e feira afrocaipira. Nos dias 11 e 13, as atrações acontecem de forma virtual. Já nos dias 15 e 16, as atrações podem ser conferidas presencialmente, no Centro Cultural Casarão, em Campinas (SP), e também on-line. Toda a programação é gratuita.


O projeto é realizado por meio da Lei Paulo Gustavo, com realização do Governo do Estado de São Paulo, Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas, Governo Federal e Ministério da Cultura.





Idealizado pelo violeiro João Paulo Amaral e pelo produtor Leo Magnin, o Festival Viola da Terra chega em 2024 a sua terceira edição. Entre os aguardados shows, o evento contará com as apresentações de Levi Ramiro e Paulo Freire, de Pereira da Viola, e do projeto Viola com Elas, que reúne as violeiras Mel Moraes, Carol Viola e Vitória da Viola.


“Falar da viola brasileira é abordar um rico instrumento que possui uma forte ligação com a nossa história, é dar voz aos sotaques e às tradições de cada região. Por essa razão, é conhecido também como viola caipira, viola nordestina, viola pantaneira, etc. É um instrumento que a cada dia transita pelos mais diferentes estilos musicais, diversidade que buscamos trazer para o festival”, afirma o diretor artístico João Paulo Amaral.


Paulo Freire e Levi Ramiro - Foto: Marco Flávio Santos

Programação

Os dois primeiros dias da programação, 11 e 13 de junho (terça e quinta), podem ser conferidos online, gratuitamente, sempre às 19h, por meio do canal do YouTube do festival (www.youtube.com/festivalvioladaterra). No dia 11, a atração será a Roda de Prosa Matrizes Africanas e a Viola, com Cássio Nobre, Mirian Violeira e Wilson Dias. Já no dia 13, acontece a Roda de Prosa Viola Contemporânea, com Cacai Nunes, Fernando Sodré e Hugo Linns.


Nos dias 15 e 16 (sábado e domingo), as atrações podem ser conferidas presencialmente, no Centro Cultural Casarão, em Campinas (SP). Os shows também podem ser acompanhados no formato on-line.




Entre shows instrumentais de viola, no primeiro dia o festival traz o pernambucano Caçapa que apresenta sua proposta contemporânea baseada nas tradições nordestinas, com suas violas eletrodinâmicas, acompanhado pela contrabaixista Vanessa Ferreira e pelo percussionista Mestre Nico. Pereira da Viola é mineiro, reconhecido violeiro que traz a diversidade da música raiz, de sua origem quilombola e rural. Encerrando a programação do sábado, os paulistas Arnaldo Freitas e Zé Garoto e o mineiro Marcos Violeiro formam uma roda de viola inédita, unindo três gerações de importantes nomes da vertente caipira do instrumento.


No segundo dia, o Duo Gulin, composto pelo importante violeiro paranaense Rogério Gulin e seu filho Victor Gulin, traz composições inéditas e releituras elaboradas em uma performance que mescla tradição e inovação. A Roda de Viola com Amanda Violeira, Felipe Silveira e Gabriel Souza promove o encontro de três revelações da viola instrumental. O trio Viola com Elas, que reúne as jovens talentosas violeiras paulistas Carol Viola, Mel Moraes e Vitória da Viola, se apresenta acompanhado de Bruna Duarte no contrabaixo, Lorvani Karen no violão e Luana Maria na percussão. Encerrando a programação, os violeiros paulistas Levi Ramiro e Paulo Freire apresentam composições, arranjos e toques de viola tradicionais utilizando viola caipira, viola de cocho e de cabaça.


Há espaço também para a apresentação da tradicional Família Dú Catira, que traz a dança caipira de bate-pés e palmeados, apresentação e exposição com visita guiada “Nos Braços do Violeiro” de Yuri Garfunkel, além de exposição de luteria com os construtores de viola Luis Armando, Zé Esmerindo e Wilson Campos.


Como atividade formativa, o festival oferece oficinas gratuitas de viola com Zeca Collares e Marina Ebbecke, e de viola e catira com Mel Moraes e Douglas Barbosa (as inscrições devem ser feitas pelo site do festival).


Para interação e participação do público que já se aventura nos ponteados, a programação conta com o Palco Aberto, e o Desafio das 10 (espaço preparado com cenário, iluminação para tirar fotos e gravar vídeos que poderão ser postados nas redes do festival e participantes).


Caçapa - Foto: José de Holanda

Ao longo do evento, o público também poderá apreciar a feira Afrocaipira com alimentação, artesanato, livros e artigos diversos. “O festival tem sido um sucesso desde o início e o formato híbrido, adotado na segunda edição, conquistou o público. É muito interessante pois, assim, podemos atingir pessoas de diferentes lugares na modalidade online e, ao mesmo tempo, proporcionar o contato com o público e a troca de ideias entre os artistas, durante as atividades presenciais”, diz Leo Magnin, produtor executivo.


Acessibilidade

O festival contará com intérprete de libras em toda programação e audiodescrição nos shows. O espaço físico terá banheiro acessível e corredor de acessibilidade.


Equipe

Direção artística: João Paulo Amaral. Produtor Executivo: Leo Magnin. Coordenação de Programação: Domingos de Salvi. Coordenador de comunicação: Leo Yu Marins. Desenho gráfico: Estúdio Risco. Assessoria de imprensa: Rafael Bitencourt (Tempo D Comunicação e Cultura).



SERVIÇO

3º Festival Viola da Terra. Dias 11, 13, 15 e 16 de junho de 2024, em formatos virtual e presencial no Centro Cultural Casarão, à rua Aracy de Almeida Câmara 291, Barão Geraldo, em Campinas (SP). Mais informações podem ser conferidas em www.festivalvioladaterra.com.br ou @festivalvioladaterra (Facebook e Instagram).



Comments


  • Facebook Clean
  • Instagram Clean
  • White YouTube Icon
bottom of page