• O Canal da Lili

23 de Abril: comemoração do Dia Internacional do Livro e do Direito Autoral


Pandemia: os livros foram refúgio para todos, principalmente, para as crianças - Imagem: Freepik

Neste sábado, 23 de abril, é comemorado o Dia Internacional do Livro e do Direito do autor, data em que foi escolhida pela Unesco, em sua Conferência Geral, realizada em 1995. A data homenageia os escritores Inca Garcilaso de la Vega, Miguel de Cervantes e William Shakespeare. De acordo com a CBL (Câmara Brasileira do Livro), a criação de datas que pontuem essa relevância auxilia na conscientização da população. “Desde a Criação, o livro é referência fundamental para o crescimento intelectual da humanidade.


É por meio das páginas de livros que todos podemos ter contato com diversas histórias, conhecimentos, culturas, personalidades e realidades. O livro tem o poder de nos fazer viajar sem sair do lugar”, afirma Vitor Tavares, presidente da CBL.



No Brasil, existem mais de 100 milhões de leitores, que compõem 52% da população, conforme mostra a última edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil. A análise realizada pelo Instituto Pró-Livro, com o apoio da Câmara Brasileira do Livro, da Abrelivros, e do SNEL (Sindicato Nacional dos Editores de Livros), destaca que esses leitores são, em números absolutos, não estudantes (61,2 milhões), da classe C, D e E (70 milhões) e de renda familiar entre um e cinco salários mínimos (76,3 milhões).


Os dados mostram ainda que é maior o número de leitores entre os que possuem ensino superior (68%), das classes A e B (67% e 63%, respectivamente), e de renda familiar de mais de 10 salários mínimos (70%). Uma outra informação que chama atenção é o fato de que 31% dos brasileiros nunca compraram um livro e quase metade da população não tem o hábito de ler. O número alerta para a importância do incentivo à leitura no Brasil e no mundo.


Atualmente, o mundo sofreu duras consequências devido ao isolamento social resultado dos últimos anos de pandemia. E os livros foram refúgio para todos e, principalmente, para as crianças. A pesquisa Retratos da Leitura salientou que a faixa etária dos 5 aos 10 anos de idade é o perfil com maior frequência de consumo de livros de literatura. As crianças representam 23% de toda a população e costumam ler diariamente ou quase todos os dias por vontade própria. O gosto pela leitura é a principal motivação de 48% dos pequenos.


Por isso, estimular as crianças a manterem ou criarem o hábito da leitura é extremamente importante. Segundo o IPL (Instituto Pró-Livro), 24% das pessoas são influenciadas pela mãe, pelo pai ou por parentes próximos em seu gosto pela leitura, sendo que 29% delas são cativadas no primeiro contato com a obra.


Outra pesquisa apresenta o avanço do acesso aos livros no mercado brasileiro. O 11º Painel do Varejo de Livros no Brasil, realizado pela Nielsen BookScan e divulgado pelo SNEL, mostra que a comercialização de livros teve um acréscimo de 31% somente no ano passado. O faturamento superou os R$ 2 bilhões. E com a comercialização de 55 milhões de livros no Brasil, é notável a recuperação do segmento em relação ao ano de 2020 e traz boas expectativas para 2022.

  • Facebook Clean
  • Instagram Clean
  • White YouTube Icon