top of page
  • Foto do escritorO Canal da Lili

11º Festival Curau une manifestações culturais, tradicionais e contemporâneas em Piracicaba (SP)


Baque Caipira é atração do Festival Curau - Imagem: Isabela Borghese

Com o objetivo de evidenciar e fortalecer as manifestações culturais tradicionais e contemporâneas, acontece neste sábado (10), das 14h às 23h, no Largo dos Pescadores, na Rua do Porto, em Piracicaba (SP), o 11º Festival Curau (Culturas Regionais e Artes Urbanas). A programação é gratuita. A realização é do Instituto Curau, com apoio da Prefeitura de Piracicaba, por meio da Semac (Secretaria Municipal da Ação Cultural) e Semdettur (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo), e Sesc Piracicaba.





Ao longo do evento, acontece a tradicional Feira de Economia Solidária, com empreendimentos de culinária e artesanato locais. A Rota Afro VR, que estará disponível das 14h às 17h, possibilita uma experiência imersiva, por meio da qual é possível ter acesso a importantes espaços de cultura e resistência negra de Piracicaba.


Às 14h, sobe ao palco a Escola de Capoeira Raiz de Angola, que será seguida pela apresentação do Baque Caipira, às 15h. O rap estará em evidência às 16h, com o show de Vênus, Lua e Ras, importantes nomes locais do estilo.


O Samba de Lenço Mestre Tonho se apresenta às 17h e o Quilombola Comunidade e Samba sobre ao palco às 18h. Às 19h30, a atração será a DJ Paina. Às 20h30, acontece a apresentação do Batuque de Umbigada de Piracicaba - Casa de Batuqueiro.


Riqueza cultural nordestina

Encerram a programação, em apresentação marcada para às 21h30, os artistas Alessandra Leão e Sapopemba, que representam a rica cultura nordestina. Com 25 anos de carreira, a pernambucana Alessandra Leão traz para seu trabalho o movimento das culturas populares e tem no currículo apresentações na Europa, América Latina e América do Norte. O alagoano Sapopemba é percussionista e cantor e realiza pesquisas sobre a cultura popular afro-brasileira.


Sapobemba e Alessandra Leão se apresentarão no 11º Festival Curau - Imagem: José de Holanda

História e características

O Festival Curau foi criado em 2012 pelo Coletivo Piracema e pela Associação Pró Cultura com o intuito de promover o intercâmbio artístico e evidenciar a cultura popular, levando-a à população em geral. A união entre manifestações tradicionais e contemporâneas, desde o início, é um dos focos do trabalho, marcado pela diversidade de propostas.


“Os palcos se formam a partir da diversidade de propostas, seja no cortejo dos grupos populares, nas ruas e espaços comunitários, ou na estrutura principal do festival, que é sempre composta por um palco pouco elevado e um espaço de apresentação no chão. Dessa forma, o público tem a oportunidade única de transitar entre momentos de contemplação e troca próximo aos artistas”, opina o produtor Leo Magnin.


Ao longo de sua história, o Curau sempre buscou romper barreiras e inspirar uma sociedade mais equânime e justa. “Nas últimas décadas, as mulheres no âmbito cultural extrapolaram o entretenimento. A produção é a preciosa ´mão que realiza’ e nada mais propício para que nós mulheres despontássemos neste trabalho em um movimento contínuo de expansão, fruto de muita luta e resistência. Para cada ação realizada por nós, mulheres pretas, brancas, indígenas, LGBTQIA+, a cultura se fortalece em reverberar ações ancestrais”, diz a produtora Mari Pedrozo.


Além disso, o ritual, presente em importantes momentos da história do Curau, é também um ponto destacado. “O ritual se faz presente em cada apresentação e atividade do festival, desde o esquentar dos tambores do Batuque de Umbigada na beira rio, do grito de axé ao fim da apresentação do Samba de Lenço, da afinação dos berimbaus da capoeira, da lavagem das escadarias do Largo dos Pescadores, a conexão com o sagrado é fundamental e inseparável dos momentos de festejo”, afirma a produtora Mayra Kristina.


Lua e Vênus estão entre as atrações do 11º Festival Curau - Imagem: Tempo D Comunicação e Cultura

PROGRAMAÇÃO – 11º FESTIVAL CURAU

14h às 17h | Rota Afro VR

14h | Escola de Capoeira Raiz de Angola

15h | Baque Caipira

16h | Lua, Vênus e Ras

17h | Samba de Lenço Mestre Tonho

18h | Quilombola, Comunidade e Samba

19h30 | DJ Paina

20h30 | Batuque de Umbigada de Piracicaba - Casa de Batuqueiro

21h30 | Alessandra Leão e Sapopemba


SERVIÇO

11º Festival Curau (Culturas Regionais e Artes Urbanas): sábado, 10 de dezembro de 2022, das 14h às 23h, no Largo dos Pescadores, na Rua do Porto, em Piracicaba (SP). Entrada gratuita. Mais informações podem ser obtidas no Instagram: @festivalcurau



  • Facebook Clean
  • Instagram Clean
  • White YouTube Icon
bottom of page