top of page
  • Foto do escritorO Canal da Lili

10º Afropira acontece entre 16 e 20/11 e tem shows de Rael, Paula Lima e Encontro de Batuqueiros


Encontro de Batuqueiros - Foto: Divulgação

Considerado o maior encontro afro do interior paulista, o Festival Afropira chega em 2023 a sua 10ª edição, com uma programação que acontece entre os dias 16 e 20 de novembro e terá como sedes o Sesc Piracicaba, o Bar Quatizinho, o Clube 13 de Maio, o Vila 19 e o Engenho Central, em Piracicaba (SP). Entre as atrações estão os shows de Paula Lima e de Rael, Encontro de Batuqueiros, Batuque de Umbigada, Samba de Lenço, além de roda de samba, oficinas, Missa Afro e feira. Haverá, ainda, atendimento no espaço da beleza, tranças, turbantes e cortes artísticos.




A iniciativa foi contemplada pelo ProAC - Programa de Ação Cultural e é realizada pelo Governo do Estado de São Paulo, Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas, com correalização da ETC Produtora. O apoio é do Sesc Piracicaba, Afro Black Pira, Centro de Documentação, Cultura e Política Negra, Secretaria Municipal da Ação Cultural, Prefeitura de Piracicaba, Clube 13 de Maio, Sebrae, Tools, Faculdade Anhanguera e Choperia Lugui.


O 10º Afropira começa em grande estilo nesta quinta-feira, 16/11, com o show do cantor Rael no Sesc Piracicaba às 20h. Os ingressos estão à venda nas plataformas digitais do Sesc e nas bilheterias físicas da unidade.


Paula Lima - Foto: Diego Mello

Na sexta, 17, acontece Roda de Samba no Bar Quatizinho, a partir das 20h, com roda de Samba com Som da Massa e convidados. Os ingressos estão sendo vendidos na plataforma Sympla (www.sympla.com.br). Nos dias 18, 19 e 20, as atrações são gratuitas e os ingressos devem ser retirados pela Sympla. No dia 18, o festival acontece em dois locais. O Clube 13 de Maio será sede, a partir das 13h, de oficinas, apresentações, desfiles e feira, com encerramento do Grupo Quilombola. Às 22h, acontece a Balada Black – Afroblack no Vila 19.


No dia 19, mais atrações. Às 9h, no Teatro Erotides de Campos (Engenho Central), acontece a Missa Afro, em seguida a Sessão Solene da Câmara de Vereadores com homenagens. Às 13h, no palco do Engenho Central, tem início o Grande Festival Afropira, que terá como destaque a cantora Paula Lima. Na segunda-feira, 20, Dia da Consciência Negra, tem o Lançamento do Calendário Afro-Piracicabano no Teatro Erotides de Campos (Engenho Central) às 10h e o Grande Festival Afropira segue no Engenho Central, a partir das 13h, também com uma programação variada. Haverá também o Encontro de Batuqueiros, com abertura do Grupo Pimenta Preta.


Em cinco dias de festival, 10º Afropira reunirá shows especiais, mais de 150 atrações culturais, mais de 80 empreendedores, gastronomia afro e muitas outras atrações.


Nos dias 19 e 20, além do palco, haverá diferentes espaços: Espaço Oficina (com vivências das culturas tradicionais - musicalidade e dança); Espaço Capoeira (com apresentações, oficinas e roda com os grupos da cidade e região; Espaço Griô (com palestras, exposições e lançamentos de livros, debates, troca de saberes); Espaço da Fé (onde representantes de diferentes religiões se encontram para fortalecer a fé e apresentar suas atividades - destaque para a Roda de Conversa Inter-Religiosa); Espaço Hip Hop (com apresentações e oficinas com DJs, MCs, Grafiteiros, B.Boys e B.Girls, Batalhas e Baile Black); Espaço Infantil (com oficinas e apresentações de música, dança, artesanato, contação de história, além de pintura afro, brinquedos e cantinho de leitura); Espaço da Beleza (com atendimentos gratuitos de cortes de cabelo artístico, trancistas, maquiagens, dicas de cuidados com a pele e cabelo afro, amarrações de turbantes. Este será o primeiro ano que contará com oficinas); Área de Alimentação (com Coletivos e Associações promovendo a culinária e o afroempreendedorismo social); Espaço Exposição (com afroempreendedores para divulgação e comercialização de seus produtos e serviços).


Rael - Foto: Augusto Wyss

História

O Afropira começou em 2013 com o intuito de reunir os fazedores de cultura negra de Piracicaba que, até o ano anterior, celebravam o Dia da Consciência Negra em locais distintos, dividindo artistas, instituições, militantes e o público que aprecia a cultura afro.


No primeiro ano, foi realizado o Festival Afropira nos Bairros, que durante o mês de novembro realizava apresentações em sete bairros periféricos (ação que, atualmente, segue ocorrendo, ao longo do ano). No dia 20, ocorreu o 1º encontro, que atraiu cerca de 4.000 pessoas, tornando-se um marco histórico para cultura negra piracicabana. Em 2023, o já festival chega a sua 10ª edição.


“Estamos muito felizes com as conquistas ao longo desses 10 anos. O Afropira foi criado como uma forma de reflexão e celebração pelo Dia da Consciência Negra e nesse tempo pudemos realizar importantes parcerias. Com isso, temos conseguido evidenciar a cultura afro-brasileira, que é tão importante e ressalta a diversidade do nosso povo. A expectativa para esse ano é dar continuidade a esse trabalho com esse que é o maior encontro Afro do interior paulista”, afirma Elaine Teotonio, idealizadora e diretora do Festival Afropira.


SERVIÇO

Mais informações sobre o 10º Afropira podem ser conferidas no Instagram: @afropira



  • Facebook Clean
  • Instagram Clean
  • White YouTube Icon
bottom of page